O peso das distrações na vida espiritual

Por menores que sejam, o preço a pagar pode ser alto


Por Flavia Francellino / Fotos: Fotolia e Arquivo Pessoal

Aqueles cinco minutinhos nas redes sociais podem se multiplicar e roubar três ou quatro horas do seu dia. Assim acontece com outras atividades pouco úteis, como uma conversa fútil. Culpar a perda de tempo, uma desculpa pronta de muitas mulheres, é bastante conveniente nesses casos quando, na verdade, pode ser a origem de muitos problemas.

Ao meditarmos no que está descrito na Bíblia, entendemos que as distrações vêm acompanhadas de más consequências na área espiritual. Um exemplo está em Gênesis 3: a história de Eva, que se distraiu quando deu ouvidos à serpente. Ela nem sequer havia reparado no fruto proibido, mas, dali em diante, teve a curiosidade aguçada e maculou sua comunhão com Deus.

Realidade
Outro exemplo bíblico de distração foi Marta. Os afazeres tiraram dela a oportunidade de conhecer o Senhor Jesus. “Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.” (Lucas, 10. 40-42).

A escritora Nanda Bezerra afirma que, assim como Marta, muitas mulheres têm ficado distraídas, principalmente quanto à área espiritual. “O que anda nos seus pensamentos? Você está vigiando ou distraída? Se você não está vigiando, se está distraída, não percebe aquele pensamento tão sutil que faz você ter maus olhos ou guardar uma mágoa de alguém.”

Diagnóstico
A distração é uma das características da falta de foco, exemplifica a psicopedagoga Edilaine Gomes Santos, de 37 anos (foto a esq.). Ela narra que, ao chegar na Universal, há nove anos, passou a “desfrutar de uma paz e de uma alegria que jamais havia sentido antes”, mas que, com o passar do tempo, foi influenciada pela sensação de bem-estar.
Ela passou a dar mais atenção à carreira do que à comunhão com Deus e, aos poucos, reduziu sua frequência na Igreja. “Eu estudava horas seguidas, me envolvia com muitas literaturas e já não tinha mais tempo para meditar na Palavra de Deus. Essa busca incessante se tornou uma distração.”

A partir daí, a ansiedade, a preocupação e a falta de direção de Deus voltaram a fazer parte da vida dela. Então, ela se consertou com Deus: “amadureci na fé e percebi que inclusive minha vida profissional evoluiu, pois, em vez de investir em mais conhecimento, passei a ter a sabedoria que vem de Deus.”

Alerta
A percepção espiritual deve estar afiada para que as distrações sejam percebidas. O Espírito Santo é Quem a guia, mas você não O percebe se está com os olhos vidrados nos outros ou em seus problemas. Esse é o motivo da falta de maturidade espiritual de mulheres que não notam o quanto suas reações podem ser nocivas e suas decisões perigosas. A escritora Nanda Bezerra orienta: “seja esperta. Comece a vigiar, a se perceber, a se autoavaliar. Isso é importantíssimo para a sua fé”.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O peso das distrações na vida espiritual

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games