Infestação de escorpiões assusta o País

Em 2018, mais de 90 mil incidentes foram registrados no Brasil


Por Janaina Medeiros / Fotos: Joel Silva/Folhapress e Fotolia

Foi-se o tempo em que os escorpiões eram encontrados apenas em áreas rurais. Por causa do desmatamento assustador que assola o País, esses aracnídeos conseguiram espaço próximo às residências e se tornaram também um problema urbano.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o número de incidentes pela picada de escorpiões foi superior a 90 mil em 2018. Deste total, mais de 40 mil ocorreram na região Sudeste, principalmente no interior de São Paulo. Em seguida, o Nordeste foi a região com maior número de casos: 39 mil.

Desses registros referentes ao ano passado, 99 resultaram em mortes. Esse número é tão expressivo que ultrapassou o de óbitos por picadas de serpentes, que até 2017 lideravam o ranking dos animais peçonhentos que mais matavam no País.

O problema é que esse número deve continuar aumentando porque os escorpiões gostam de ambientes quentes e úmidos. Então, enquanto durar esse período de calor e chuvas, mais fácil será a multiplicação deles.

Um dos fatores que contribuem para esse número alto é a fácil adaptação do escorpião aos ambientes. Outra causa é o aumento da quantidade de lixo e entulhos nas cidades. Nesses locais, há o aparecimento de insetos, principalmente baratas, que são o principal alimento dos escorpiões.

Além disso, a fêmea não precisa do macho para se reproduzir. Por meio do processo de partenogênese, ela se reproduz sozinha, liberando por ciclo entre 20 e 30 filhotes.

O que fazer
Atualmente, há no Brasil mais de 150 espécies de escorpiões, todas elas venenosas. A mais perigosa e que causa mais acidentes é a espécie Tityus serrulatus (escorpião-amarelo).

A picada provoca dor, inchaço e vermelhidão no local, além de febre. A vítima precisa se dirigir imediatamente ao hospital para avaliar a necessidade de tomar o soro antiescorpiônico, principalmente as crianças, porque o veneno ataca o sistema nervoso central, provoca alterações cardíacas e pode ser letal.

Controle e prevenção
Diante do número alto de picadas de escorpião, o MS e o Instituto Butantan – fabricante do soro antiescorpiônico – estão promovendo campanhas educativas. Entre elas está uma força-tarefa para orientar médicos e agentes de saúde a respeito do aracnídeo.

Uma boa dica para este trabalho é a inclusão da busca de focos de escorpiões na rotina de fiscalização da vigilância sanitária, assim como acontece com o Aedes aegypti, o mosquito da dengue.

Além disso, são necessárias algumas intervenções ambientais para o controle: diminuir a oferta de abrigo do animal, como pedras, madeiras e folhas; impedir o seu acesso às casas por meio de frestas, ralos e janelas; valorizar os predadores naturais, como aves, lagartos e sapos; e controlar os insetos que constituem o seu alimento.

Porém, cada cidadão também precisa fazer sua parte. Diante de um cenário tão desfavorável, o recomendado é ficar atento à limpeza das casas para evitar o acúmulo de lixo e entulhos.

Para escapar de uma possível picada, é preciso examinar roupas, calçados, toalhas de banho e vestuário de cama antes de usá-los; vestir luvas de couro ao mexer em materiais de construção; evitar andar descalço; e proteger os vãos sob as portas.

Aplicar inseticidas não traz resultados satisfatórios. Isso porque não existe ainda um veneno específico para combater os escorpiões.

ler mais
Notícias relacionadas
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Infestação de escorpiões assusta o País

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games