Pare de ter medo do exame de próstata

Essa mudança de visão pode salvar e até melhorar a sua vida



Por Por Eduardo Prestes / Foto: Fotolia

Um novo mês está chegando e traz consigo uma campanha importante para a saúde masculina. Se no mês anterior houve o chamado Outubro Rosa, quando a troca de informação sobre o câncer de mama e a valorização da saúde da mulher foram as tônicas, agora acontece o Novembro Azul, uma oportunidade para que os homens se cuidem e cujo foco é a prevenção. A campanha acontece no mesmo mês em que ocorre o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, comemorado no dia 17.

Não espere

Isso não quer dizer que você tenha que esperar pela campanha para se prevenir. Este é o tipo de câncer no homem com mais chance de cura, desde que seja detectado no início. Uma das armas para verificar a existência da doença é o exame de PSA, a proteína Antígeno Prostático Específico, que é medida por meio de análise sanguínea. Embora não seja específico de câncer e, sim, da próstata, que pode se elevar por diversos motivos (como uma inflamação, por exemplo), ele é um indicativo para a doença.

Exame decisivo

Outro exame, que não substitui o anterior, é o de toque retal. Se nele for notado endurecimento ou qualquer alteração da próstata, há a possibilidade de que seja câncer. Os médicos recomendam que quando há um histórico familiar, caso o pai, irmão ou tio tiveram câncer de próstata, o ideal é fazer o exame de toque aos 40 anos; se não houver incidência familiar, aos 45 anos. As visitas regulares ao urologista depois dessa idade também são bem-vindas.

Sem sintomas

O problema é que algumas pessoas esperam o aparecimento de sintomas. Quando identificam alguma coisa errada, como urinar a todo o momento ou o jato da urina ficar mais fraco, decidem ir a um urologista. A questão é que esperar por algum indício pode significar que o câncer de próstata já esteja em estágio mais avançado. Entre os homens brasileiros, o câncer de próstata é o segundo com maior incidência.

Preconceito

De maneira geral, a população masculina tem resistência em fazer o exame de toque e se prevenir. Para 21% dos brasileiros, o exame de toque retal não é “coisa de homem”. De acordo com uma pesquisa encomendada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), um em cada cinco homens acredita que o exame, essencial para o diagnóstico precoce da doença, fere suas noções de masculinidade. O detalhe é que estamos falando de uma questão cultural e comportamental tão profunda que pode abreviar a vida ou causar problemas permanentes para o homem. Por isso, é fundamental que ele deixe o preconceito de lado. Além disso, muitos não fazem o exame por medo de sentir dor.

Quanto antes, melhor

O fato é que o exame é simples, leva apenas alguns segundos e não necessariamente é feito em todas as visitas ao urologista. Preocupar-se com saúde e cuidar-se, seja realizando o exame de toque, seja qualquer outro, não deveria afetar a masculinidade do homem. Como a maioria dos tumores iniciais de próstata não apresenta sintomas, se precaver tem se mostrado o melhor caminho para que seja tratado ainda no começo.

A campanha Novembro Azul é pontual e nos ajuda a lembrar que é preciso se prevenir. No entanto, ir ao médico, fazer exames e cuidar-se pode ser feito a qualquer tempo e quanto antes isso for feito melhor para a saúde do homem.

Lute sempre

Cuidado com a melhora de um problema que não é definitivamente resolvido. Corte o mal pela raiz. Se a situação melhorou, agora não é hora de descansar, mas de seguir lutando para garantir que aquele problema nunca mais vai levantar a cabeça. Confie em Deus. É Ele quem fará os milagres, não você. Veja mais em blogs.universal.org/renatocardoso/

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pare de ter medo do exame de próstata

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games