Empresa é condenada a pagar indenização por ofender funcionário

Agressões verbais foram feitas por meio de aplicativo de mensagens telefônicas



Por Por Eduardo Prestes / Foto: Fotolia

Uma notícia sobre uma decisão da Justiça brasileira causou certa polêmica em meados deste mês. A Justiça do Trabalho do Distrito Federal condenou uma empresa a pagar uma indenização de R$ 3 mil a um trabalhador que foi ofendido e ameaçado pelo chefe por meio do Whats- App, aplicativo que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS.

O analista de suporte, que prestou serviços para a empresa entre junho de 2014 e agosto de 2015, disse que foi tratado com rigor excessivo e agredido verbalmente pelo chefe com palavras de baixo calão. Além disso, o funcionário teria sido ameaçado de ser retirado de seu local de trabalho por meio de força policial.

Em sua defesa, a empresa alegou que o funcionário era insubordinado e preguiçoso. Porém, para a juíza Larissa Lizita Lobo Silveira, da 2ª Vara do Trabalho de Brasília, a aplicação de punições por parte do empregador deve ser feita com limites e critérios, respeitando a honra e a moral dos empregados.

A decisão da Justiça levanta questionamentos sobre o tratamento correto a dar em assuntos relacionados ao ambiente de trabalho. A empresa talvez tenha errado ao usar o recurso para tratar de um assunto sério como a conduta de um profissional. Se essa atitude já é questionável, pior ainda é ofendê-lo e deixar isso registrado por meio do aplicativo. Foi a cereja do bolo estragado. Talvez, fosse melhor chamar o funcionário para uma reunião e tentar resolver o problema de outra forma.

Sem entrar no mérito de quem tinha razão no caso citado, se o funcionário ou a empresa, por mais que a tecnologia esteja à disposição de todos para agilizar a vida e torná-la mais fácil, com aplicativos e também com a própria internet (com suas inúmeras funções para, em especial, melhorar os conhecimentos do ser humano e ser um instrumento de comunicação para as pessoas), é preciso utilizá-la com sapiência. Não adianta ter todo um aparato tecnológico ou um simples aplicativo telefônico se não sabemos utilizá-
los de forma adequada.

ler mais
Reportar erro

comentários

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Empresa é condenada a pagar indenização por ofender funcionário

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Fake news

Você sabe de alguma notícia falsa que tem circulado na internet sobre a igreja Universal? Relate aqui o caso que iremos trazer toda a verdade no site Mitos e Verdades

Formulário de Denúncia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente


Expediente

Editora Executiva:

Cinthia Meibach

Coordenadora de Conteúdo:

Ivonete Soares

Repórteres:

Andre Batista, Daniel Cruz, Débora Picelli, Jeane Vidal, Michele Roza, Rafaella Rizzo, Sabrina Marques, Rafaela Dias



E-mail para Contato: redacao@sp.universal.org.br

Telefone:(11) 2392-3372

Endereço Rua João Boemer, 254 - Brás, São Paulo

Cep: 03018-000

Free WordPress Themes, Free Android Games