Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Bispo Macedo | 7 de dezembro de 2015 - 05:58


O que o seu sacrifício representa

No Altar, você entrega tudo o que tem – que não é tudo o que gostaria de ter – para receber tudo o que ainda não tem – mas que é tudo o que quer ter. Sendo assim, o sacrifício que você oferece no Altar representa a vida que você não quer mais. Você se nega a continuar vivendo-a, por isso, a entrega para Deus.

Os exemplos de fé mostram como isso acontece.

TUDO que Abraão tinha era um filho, mas ele queria ser pai de um povo numeroso. Por isso, entregou o seu filho (que representava a vida que ele não queria mais: ser pai de uma pessoa só), para ser pai de uma grande nação (a vida que queria ter).

TUDO o que Gideão tinha era um boi, mas ele queria provar das maravilhas de Deus. Por isso, entregou o boi (que representava a vida que ele não queria mais: ter só um boi como sustento) para receber maravilhosa fartura e paz (a vida que queria ter).

TUDO o que a viúva pobre tinha era duas moedas, mas ela queria a vida abundante. Por isso, entregou as duas moedas (que representava a vida que ela não queria mais: ter apenas duas moedas) para receber a abundância (a vida que queria ter).

É por isso que somente os revoltados sacrificam e se entregam: eles são os únicos que rejeitam a vida que vivem no momento. Assim como Abraão, Gideão e a viúva pobre, não se conformam com o que consola, mas perseguem o que impressiona.

Já quem não sacrifica nem se entrega, no fundo, deseja continuar vivendo a mesma vida. Não se importa em passar o resto dos seus dias com as mesmas limitações, os mesmos problemas, as mesmas situações, as mesmas condições… É questão de lógica: se o sacrifício representa a vida que você não quer mais, se você não sacrifica, está dizendo que está satisfeito com a vida que tem. E, se você está satisfeito com sua vida, como e por que ela mudaria?

Para os revoltados: qual é o tudo que você tem hoje, mas que você não gostaria que fosse o seu tudo? Sacrifique-o no Altar.


reportar erro