Rede aleluia
Você tem culpa por sua obesidade
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de julho de 2019 - 10:29


Você tem culpa por sua obesidade

Cientistas afirmam que preguiça e gula são os maiores causadores pela doença

Você tem culpa por sua obesidade

Mais de dois bilhões de pessoas no mundo estão com o peso acima do saudável. E a culpa é de cada uma delas. Ao contrário do que parte da imprensa demonstra, a genética não é um fator importante na obesidade. É o que demonstra um estudo publicado no British Medical Journal, um dos mais importantes periódicos sobre saúde do mundo.

“Seu peso é determinado pela quantidade de comida que come”, declarou à BBC inglesa David Curtis, professor do Instituto de Genética da Universidade de Londres. Ele é um dos autores da pesquisa. “Temos uma cultura que aceita pessoas sendo mais gordas e está se tornando a norma. Isso não tem nada a ver com a nossa composição genética”.

De acordo com ele, “a única maneira de engordar é comendo mais comida do que você está queimando em suas atividades.”

Então, para fugir da obesidade, mude seus hábitos

O que o estudo citado acima diz é que não é possível responsabilizar a genética pelo excesso de peso. Isso porque o peso de cada um é determinado pelos hábitos alimentares e pelos exercícios físicos que pratica (ou não).

Atualmente, o mundo consome cada vez mais alimentos ruins para o organismo.

Ao mesmo tempo, cada vez menos pessoas mantêm atividades físicas em suas rotinas.

O estudo avaliou quase 119 mil pessoas durante 45 anos. A conclusão foi que quem possui o popular “gene gorduroso” tem as mesmas chances de engordar do que quem não o possui. Ou seja: o comportamento de cada um define sua saúde.

Por isso, é tão importante ser disciplinado no combate à obesidade. A doença acometia 105 milhões de pessoas em 1975. Mas hoje afeta 640 milhões de pessoas no mundo inteiro. Caso o aumento proporcional siga o mesmo, 20% de todos os adultos do planeta serão obesos já em 2025.

Mas, você não precisa fazer parte dessa estatística!

É importante lembrar que o corpo humano é o Templo do Espírito Santo (citado na Bíblia em 1 Coríntios 6.19) e, como tal, merece todo cuidado.

Em um dos desafios do IntelliMen, o Bispo Renato Cardoso orienta os homens sobre o assunto, porém, as dicas valem para todas as pessoas: mulheres, crianças, idosas, afinal, assim como a disciplina na vida espiritual é imprescindível para se alcançar a Salvação da alma, o cuidado com a saúde e o corpo é também igualmente importante:

“Se você está acima ou abaixo do peso recomendado para sua idade e altura, siga a orientação do seu nutricionista para perder/ganhar peso. Faça uma reeducação alimentar para que não apenas alcance o peso ideal, mas mantenha-o para sempre”.

O Bispo também ressalta a importância de manter uma rotina de atividades físicas para ter boa saúde.

Portanto, cuide bem de seu corpo e de sua saúde física.  Clique aqui e saiba mais sobre a obesidade, essa doença que tem matado tantas pessoas. E se você ainda não pratica exercícios, procure um médico ou um profissional de educação física e saiba como iniciar essa rotina benéfica.


  • Colaborador: 

  • Andre Batista / Foto: Getty Images


reportar erro