Rede aleluia

Notícias | 14 de junho de 2019 - 20:04


Universal nos Presídios ressocializa 11 mil detentos no Brasil

Ex-detentos recuperados ajudam presidiários a deixar vida do crime.

O programa social Universal nos Presídios (UNP) ajudou a ressocializar mais de 11 mil detentos no Brasil, em 2018. Este número, representa um crescimento de 120% do total alcançado em 2017, de acordo com o levantamento divulgado no ano passado.

Depois de ressocializados, a maioria dos egressos do sistema prisional se tornam voluntários do programa social. Hoje, eles representam cerca de 40 % dos 30 mil membros que a UNP tem em todo Brasil.

Claudete Brito é ex-presidiária e voluntária do UNP de São Luís do Maranhão. “A partir do momento que eu me permiti aprender, ouvir e colocar em prática o que me era ensinado pelos voluntários, comecei a mudar. O programa social me trouxe esperança, me deu razões para acreditar que era possível ser feliz e viver uma vida longe da criminalidade”, disse a ex-detenta.

Segundo a responsável do UNP feminino do estado, Volane Roque, uma das agentes ficou muito emocionada ao rever Claudete pela primeira vez na Unidade Prisional de Ressocialização Feminina de São Luís, onde ficou presa por quase três anos. “Os funcionários do local sabem o quanto é difícil o processo de ressocialização. Além de oferecer oportunidades como cursos profissionalizantes, é preciso ajudar o detento a abandonar a mente de criminoso”, explicou Volane.

A UNP existe há mais de 30 anos e desenvolve trabalhos em 1.359 unidade. Mais de 500 mil detentos foram beneficiados apenas no ano passado. Os familiares deles, agentes penitenciários e demais funcionários também foram alcançados pela UNP, ultrapassando 1 milhão de beneficiados.

O programa oferece cursos profissionalizantes, atendimento médico, odontológico e jurídico, café da manhã na porta das unidades para os familiares que visitam os presos, cestas básicas, livros e informativos, sempre com o objetivo de ressocializar os detentos e prestar apoio aos familiares.


  • Unicom / Foto: Getty Images 



reportar erro