Rede aleluia
Jornalista da TVI responde por denúncia caluniosa
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de julho de 2019 - 11:00


Jornalista da TVI responde por denúncia caluniosa

Após inventar fake news contra a Universal, Alexandra Borges terá de prestar contas à Justiça

Jornalista da TVI responde por denúncia caluniosa

A jornalista Alexandra Borges (foto abaixo), da TVI de Portugal, responderá na Justiça pelas fake news criadas contra a Universal em 2017. Em reportagens que ela produziu para a televisão, Alexandra afirmava que a Universal havia adotado crianças ilegalmente.

A série de reportagens levou a Justiça portuguesa a investigar as denúncias. Após meses de investigação, o processo contra a Universal foi arquivado. Isso porque ficou comprovado que todos os atos da Universal foram tomados dentro da Lei, inclusive com suporte do próprio governo português.

TVI

As mentiras caem por terra

Após o arquivamento das ações contra a Universal, a Justiça portuguesa decidiu investigar duas mães que haviam mentido durante o processo. Fátima e Ana Mafalda haviam declarado – na televisão e no tribunal – que seus foram roubados. Documentos com suas assinaturas, porém, desmentiram essa versão. E Fátima voltou atrás em sua história.

“Fartei-me. Cansei-me de mentir. Houve um dia que fui chamada ao tribunal. Cheguei lá e contei tudo. Na televisão, disse que aquela não era a minha assinatura, que alguém a tinha falsificado. Mas eu olho e é igualzinha à minha”, declarou Fátima ao jornal português Expresso.

Então por que mentir?

Fátima confessou ao tribunal e à imprensa portuguesa que foi induzida a mentir pela jornalista Alexandra Borges. De acordo com ela, Alexandra prometeu que ajudaria a reestabelecer o contato entre Fátima e o filho dado à adoção.

Para isso, ela deveria mentir. Seria preciso afirmar que a criança foi roubada pela Universal.

Agora, após a Justiça comprovar que nenhuma irregularidade foi cometida pela Universal, tanto a TVI quanto Alexandra Borges responderão nos tribunais por suas ações criminosas.


Jornalista da TVI responde por denúncia caluniosa
  • Andre Batista / Imagens: Getty Images e Reprodução 


reportar erro