Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 19 de junho de 2019 - 12:28


“Eu não fui participar de um culto, mas para entregar a minha vida”

Conheça a história de Ivonete Alves e entenda como ela conseguiu vencer o transtorno bipolar e a depressão

O transtorno bipolar é uma doença mental e – de acordo com especialistas – incurável, que atinge pessoas de todas as idades. Sua principal característica é a alternância entre períodos de depressão e euforia.

Os portadores desse distúrbio apresentam alterações repentinas de humor e de comportamento que comprometem sua vida pessoal, profissional e social. Ora eles estão em estado de completa euforia, ora mergulhados num completo estado de depressão.

A raiz

Foi exatamente assim que Ivonete Alves Sobrinho, de 54 anos, viveu durante grande parte de sua vida.

“Na euforia, eu era uma pessoa muito agitada, nervosa. Ofendia e feria as pessoas que eu mais amava. Na depressão, eu me fechava, me isolava. A dor na alma era tanta que a vontade que eu tinha era de tirar a minha vida”, relata.

Embora estivesse cercada por pessoas que a amavam, Ivonete vivia aprisionada a emoções e sentimentos negativos que a dominavam. E a raiz de tudo isso estava no abandono materno que sofreu ainda na infância. “Eu fui abandonada por minha mãe na infância. Ela nos deixou com meu pai e foi embora”.

Aos 15 anos, relembra, ela tentou o suicídio.

Leia também:

Robson afastou-se da fé e desejou até morrer

Débora tem uma história de vida com muitos altos e baixos

Tratamento psiquiátrico e medicação

Na fase adulta, mesmo casada e com filhos, as crises só pioravam. Inclusive, chegou a ser internada, a ponto de não conseguir se mover. Após receber alta hospitalar continuou o tratamento com o psiquiatra e tomando medicação. “Essa medicação não me ajudava, me paralisava”, relembra.

Nova tentativa de suicídio

Cansada de tanto sofrimento, Ivonete, novamente, estava determinada a tirar a própria vida. Contudo, no dia que planejou fazer isso, um simples encontro a fez retroceder e dar a si mesmo uma última chance.

“Eu estava descendo o elevador do prédio para comprar um litro de vinho. Eu ia beber, tomar um vidro todo de anfetamina e depois ia me jogar da sacada do prédio. Mas eu encontrei uma vizinha. Ela olhou para mim e perguntou se estava tudo bem. Eu respondi: ‘não, não está’”.

Alguns minutos depois, a vizinha estava no apartamento de Ivonete conversando com ela. Em seguida, ligou a televisão na programação da Universal e pediu que Ivonete assistisse. E para surpresa dela, o testemunho que estava passando era exatamente o retrato da sua vida.

Assim sendo, no dia seguinte ela foi à Universal. Era um domingo pela manhã. “Foi a última chance que eu pedi para Deus. Eu não fui participar de um culto ou pedir uma cura, eu fui para entregar a minha vida”, declara.

Acompanhe no vídeo abaixo o depoimento completo de Ivonete:

Então, se você também deseja a mesma oportunidade que Ivonete teve, participe de uma reunião na Universal. Procure aqui o endereço mais perto de sua casa.


  • Jeane Vidal / Foto: Getty Images 


reportar erro