Rede aleluia

Notícias | 19 de junho de 2019 - 16:20


Doações garantem que pacientes com câncer possam continuar tratamento no Piauí

Em 2018, foram registradas mais de 7 mil internações com portadores da doença, apontou a pesquisa.

No dia 11/6, o Grupo da Saúde (GSU) visitou a “Casa Esperança e Vida”, instituição de apoio aos portadores de câncer, localizada em Teresina (PI). Na oportunidade, doações como fraldas descartáveis e cestas básicas foram entregues para alimentar os pacientes por aproximadamente dois meses. A fundação estava enfrentando dificuldades para manter os 118 acolhidos.

Segundo a funcionária da fundação Anne Ferreira, a casa recebe adultos e crianças em situação de vulnerabilidade. “Por sermos uma instituição filantrópica, cada doação representa muito para nós, pois são elas que nos permite ajudar outras pessoas”, explicou.

Jenner Lima Santos, responsável pelo GSU no estado conta que o programa pretende continuar ajudando a instituição com doações, e também oferecerá outros projetos que o grupo desenvolve.

Um levantamento realizado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) revelou que, entre janeiro e novembro de 2018, foram registradas 7.278 internações na rede do SUS de Teresina, de pessoas com câncer.

Alegria e esperança

A animação do evento ficou por conta dos voluntários do “Sorriso Saúde”, projeto pertencente ao GSU. “Eles se vestem de palhaços e levam alegria e esperança para os enfermos, que estão abalados emocionalmente com o tratamento que enfrentam”, explicou Jenner.

Todos os envolvidos nesse projeto passam antes por uma oficina de capacitação, na qual aprendem técnicas para desenvolver as atividades de palhaço de hospital. Cerca de 8 mil pessoas são beneficiadas mensamente pelo “Sorriso Saúde” em todo o país.

Um estudo realizado por cientistas na Universidade de Maryland, EUA, comprovou que rir faz bem para a saúde e auxilia na cura de diversas doenças.

Saiba mais sobre o programa social

O Grupo da Saúde foi criado em 2018. Atualmente, são 23 mil voluntários que prestam auxílio aos doentes, os familiares deles e profissionais das Unidades Básica de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA), hospitais, clínicas de acolhimento, casas de repouso e asilos de todo o Brasil.

Outro projeto que o programa social tem é o “Grupo de Apoio à Saúde”, que oferece, de madrugada, café da manhã às pessoas que aguardam, em filas de hospitais, pelo atendimento médico.

O grupo também promove, ainda, rodas de conversas e palestras para médicos, enfermeiros, psicólogos e demais profissionais dos hospitais.


  • Unicom / Fotos: Cedidas 


reportar erro