Rede aleluia

Notícias | 21 de junho de 2019 - 11:03


Detentas aprendem uma profissão no curso de corte e costura no Pará

Objetivo do grupo UNP é levar um aprendizado que, no futuro, abrirá as portas do mercado de trabalho para essas mulheres

Há 30 anos, o grupo Universal nos Presídios (UNP) no Pará realiza um dedicado trabalho de evangelização e atendimento social em prol dos detentos no estado. Semanalmente, voluntários visitam as unidades prisionais com o objetivo de levar a Palavra de Deus e outras atividades de ressocialização. Por exemplo, o curso profissionalizante de corte e costura para detentas.

No dia 10 de junho último, o grupo que atende o Centro de Recuperação Feminino (CRF) de Marabá, na região sudeste do Pará, deu iniciou às aulas desse curso. Aproximadamente 110 detentas estão na unidade. Sendo que 12 delas estão nessa primeira fase de aulas, que no total beneficiará 55 mulheres.

O objetivo das voluntárias é levar um aprendizado que, no futuro, abrirá as portas do mercado de trabalho para essas mulheres. O Pastor Henrique da Silva Pires, responsável pelo grupo UNP no estado, explicou como ações assim são uma importante ferramenta de ressocialização.

“Temos feito um trabalho espiritual e levado a Palavra de Deus. Muitas delas têm crido e se entregado a Deus. Mas, também é muito importante e necessário que elas se qualifiquem profissionalmente. O trabalho dentro da unidade não só qualifica como também ajuda na remição da pena. E, dá uma oportunidade de ressocialização às detentas”, disse.

“Ensinar uma profissão é gratificante”

Quatro voluntários são responsáveis pela organização do curso. As aulas são ministradas pela professora Cristina Felício, esposa do Pastor Valnisio Sousa, responsável pelo trabalho da UNP em Marabá. “Ensinar uma profissão para as detentas é gratificante. Pois, vemos mulheres desprezadas pela sociedade tendo a oportunidade de aprender uma nova profissão para se engajar ao mercado de trabalho”, afirma Cristina.

O grupo realiza o trabalho social nessa unidade feminina há pelo menos dois anos. Outros cursos já aconteceram no local, como os de artesanato em madeira MDF e confecção de laços. Entretanto, é a primeira vez que o curso de corte e costura é ministrado no local. Sempre após as aulas acontece um atendimento espiritual e uma oração é realizada pelas voluntárias da UNP.

“Fazer parte do grupo UNP e participar de atividades com essa é uma experiência única. Por meio desse trabalho, resgatamos almas do fundo do poço. E, falar do Senhor Jesus para as detentas e ver como mudam depois disso é gratificante”, concluiu a voluntária Adriana Cristina Braba Lima (foto ao lado).

Milhares de voluntários prestam auxílio aos detentos em unidades prisionais de todo o Brasil. O grupo UNP do Pará, por exemplo, já atende cerca de 48 unidades no estado, desenvolvendo atividades espirituais, esportivas, sociais, além de cursos profissionalizantes.

Quer ser um voluntário?

Quer saber mais sobre o trabalho da Universal nos Presídios? Para informações de como se tornar um voluntário, procure a Universal mais perto da sua casa e converse com o pastor responsável. Para outras ações do grupo, acesse e curta o perfil oficial no Facebook.

 


  • Michele Roza / Fotos: Cedidas 


reportar erro