Rede aleluia

Notícias | 22 de agosto de 2019 - 08:28


Abandonados pelas famílias, adolescentes e crianças recebem dose de esperança no cinema

9 mil menores que moram em abrigos assistirão a “Nada a Perder 2” em todo o Brasil.

Cerca de 9 mil crianças e adolescentes que vivem em abrigos de todo Brasil terão a oportunidade de assistir ao filme “Nada a Perder 2” nos cinemas. A iniciativa do Projeto Movimento Sócio Abrigo, ligado ao programa social Universal Socioeducativo (USB), oferece a esses jovens, que são órfãos, ou abandonados por seus pais, ou vítimas de violência doméstica, uma janela de esperança para o futuro, por intermédio da mensagem de esperança que o filme proporciona.

No litoral paulista, Suellen Rezende de Oliveira, coordenadora do SAICA – Serviço de Acolhimento Institucional Para Crianças e Adolescentes da cidade de Mongaguá, explicou que os menores ficaram surpreendidos com a história real de superação do Bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

“O Bispo passou por perseguições e humilhações que só quem sabe onde quer chegar, consegue ter forças para superar. Isso trouxe esperança de dias melhores”, explicou Suellen.

Christian Chiaramonti, responsável pelo UNS de Praia Grande, relata que além dos menores abandonados, o programa social também levou ao cinema os ex-internos da Fundação Casa e seus familiares, no Litoral Plaza Shopping. “Foi um dia muito especial, onde muitos deles, tiveram a oportunidade de ir ao cinema pela primeira vez”, afirmou.

Abrigo X Unidade socioeducativa

Atualmente, existem 47 mil menores vivendo em abrigos de todo país, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Eles são vítimas de negligência, abandono, violência física e psicológica da parte de quem deveria protegê-los.

O responsável pelo UNS no Brasil, Ulisses Gomes, afirma que muitos dos adolescentes e crianças que já passaram nos abrigos, hoje estão internados em unidades socioeducativas. “Eles se sentem abandonados pela família, se revoltam e, infelizmente, escolhem o crime como uma válvula de escape para solucionar os seus problemas”, disse.

“Por isso, além de ajudar na ressocialização dos adolescentes em conflito com a lei, nós estendemos o apoio social dentro dos abrigos, para que esses jovens não ingressem na criminalidade”, finalizou Ulisses.

O Projeto Sócio Abrigo foi criado em maio de 2019. Com mais de 2 mil voluntários, o grupo presta auxílio para 420 casas de acolhimentos em todo Brasil. Além de levar atividades de entretenimento, doações de alimentos, roupas, kits de higiene, cursos profissionalizantes e palestras são oferecidos a todos eles.


  • Unicom / Foto: Cedida 



reportar erro