Rede aleluia
A maior Corrente de Cura
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de Janeiro de 2021 - 00:05


A maior Corrente de Cura

A Corrente dos 70 ocorre nas reuniões de terça-feira em qualquer Universal

A maior Corrente de Cura

As Escrituras Sagradas relatam que o Senhor Jesus escolheu 70 homens e deu a eles autoridade para curar enfermidades e expulsar espíritos malignos: “E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir. (…) E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus.” (Lucas 10. 1 e 9).

É em razão dessa passagem bíblica que a Universal promove uma grande corrente de cura e libertação nas reuniões às terças-feiras: a Corrente dos 70.

O Bispo Alessandro Paschoall, responsável por essa reunião no Templo de Salomão, em São Paulo, explica que da mesma forma que os 70 homens foram reunidos naquela época é feito nos dias de hoje. “São 70 homens e mulheres de Deus, pastores, levitas e obreiros que, todas as terças-feiras, se colocam à disposição para executar essa missão dada pelo Senhor Jesus.”

O Bispo Alessandro conta que a Corrente dos 70 alcança todos os tipos de público, pois as doenças também desencadeiam outros problemas. “A saúde debilitada muda a rotina de um casamento, a família e até o trabalho. O lado financeiro também é afetado, pois a pessoa acaba gastando com remédios e tratamentos, sem contar a vida espiritual, quando muitos desenvolvem depressão, insônia e até pensamentos de morte”, afirma.

Como participar?
Todos que desejam podem buscar por si mesmos ou por algum familiar nesta corrente. Para isso, é importante que as pessoas levem peças de roupas, garrafa com água, exames em que constam a enfermidade e até a lista de remédios. Tudo isso é apresentado a Deus. “Cremos que a última Palavra vem dEle e assim também vem uma nova vida, como diz o texto nas Sagradas Escrituras, no livro de Jó 4.7: ‘Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos’”, ressalta o Bispo.

Ele ainda explica que o diferencial desta corrente está no fato dela reunir pessoas de lugares distintos. “Temos relatos de pessoas que vieram de cidades distantes e até de outros Estados para agirem a Fé pela sua própria saúde ou até mesmo para lutar por um familiar.”

É o caso da família do jovem Washington Souza Meireles, de 23 anos (foto a esq.), que, em dezembro de 2019, teve complicações depois do diagnóstico de pneumonia. Na época, ele tinha procurado ajuda médica e passou a fazer uso de medicamentos via oral para tratar o problema, mas, segundo ele, não sentia melhora. Ele suportou meses de fortes dores nas costas, tosse e febre.

Diante daquele quadro clínico, Washington foi submetido a um exame para detectar se estaria com tuberculose – doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões, embora também possa acometer outros órgãos e sistemas. Para tristeza de Washington e da família, o diagnóstico se confirmou no dia 10 de junho de 2020.

Ele venceu a tuberculose
A namorada e a família de Washington frequentavam a Universal e decidiram tomar uma atitude de Fé e começaram a buscar pela cura dele na Corrente dos 70, às terças-feiras.

relembra que logo foi internado e fala do momento mais difícil que passou no hospital: “fiz um procedimento cirúrgico e depois tive que ficar com dois drenos no tórax, que não me permitiam nem me levantar direito. Foi insuportável”.

Ele recorda que chegou a pesar 57 quilos e que foi desenganado pelos médicos. “Além do líquido no pulmão, eu tinha uma espécie de capa que o revestia, o que ninguém entendia, e, para piorar, o sangue não circulava direito.”

Por causa desse agravamento, Washington ficou dois dias sem apresentar sinais vitais. Enquanto isso, seus familiares não faltavam à Corrente dos 70, pois sabiam que a situação dele mudaria. Então, logo depois, ele reagiu e, com o passar dos dias, sua melhora foi se intensificando. Depois de fazer novos exames, a doença tinha desaparecido e ele foi considerado pela equipe médica um milagre. “Hoje peso 72 quilos e nem parece que passei por tudo aquilo. Somente agradeço a Deus”, finaliza.

Cura

Você também está passando por um momento difícil e sofrendo com as dores de uma grave doença? Participe da reunião da “Corrente dos 70“. Milhares de pessoas já receberam a cura. Sobretudo, provando que o tempo de milagres não acabou.

Se você acredita que esse sofrimento pode ter um fim, compareça! A saber, a “Corrente dos 70” acontece às terças-feiras, no Templo de Salomão, localizado na Avenida Celso Garcia, 605, no bairro do Brás, zona leste de São Paulo.

Para mais informações em sua localidade, procure a Universal mais perto da sua casa.


A maior Corrente de Cura
  • Maiara Máximo / Fotos: Arquivo Pessoal e Demetrio Koch 


reportar erro