Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Núbia Siqueira | 24 de julho de 2018 - 03:00


Quem quer poder?

No mundo, poder gera domínio sobre os outros, benesses, influência e “amigos”. Por isso, as pessoas estão dispostas a prejudicar outras, ultrapassar os princípios e os valores mais importantes da vida, burlar leis e macular a própria consciência para tê-lo.

Você, assim como eu, já deve ter tido o desprazer de encontrar gente pronta a fazer qualquer coisa para ter o poder.

No entanto, toda autoridade proveniente deste mundo passa. Por mais que o ser humano lute com unhas e dentes para se manter no apogeu, mais cedo ou mais tarde, seu prestígio sucumbirá.

Por isso, temos registrado na História o relato dos grandes Impérios que passaram. Por exemplo: o que foi feito do Império Babilônico, Assírio, Egípcio, Medo-Persa e tantos outros que dominaram o mundo conhecido da época? Onde estão os políticos renomados, os grandes filósofos e os “imbatíveis” ditadores?

Podemos concluir, então, que o poder secular é passageiro, temporal e suscetível a alterações físicas, políticas e sociais.

Porém, o poder que vem de Deus é totalmente diferente. Primeiro, na sua natureza, porque ele é espiritual e eterno. Segundo, porque o poder de Deus opera antes de tudo em nós, ou seja, ele gera no homem domínio, não sobre os outros, mas sobre si mesmo. Gera força, não para maltratar e humilhar alguém, mas para fazer o que é justo e bom.

Me enche de alegria saber que, mesmo sendo tão pequenos, temos o alto privilégio, concedido por Deus, de fazer parte do Seu Reino, o qual, segundo as Escrituras, é inabalável (Hb 12.28). O Reino de Deus é infinitamente superior aos reinos e aos poderes deste mundo, que só tem grandiosidade aos olhos físicos.

Não posso terminar este texto sem falar que esse poder espiritual nos é dado por meio do Espírito Santo.

Deus nos deu a honra de ter o Seu Próprio Espírito morando dentro de nós. O Infinito habitando dentro do finito. O Tesouro mais precioso depositado no vaso de barro, que somos nós.

Então, melhor que ‘poder’ para ter é o ‘poder’ para ser, e isso só o Espírito de Deus pode nos dar.


  • Núbia Siqueira 


reportar erro