Rede aleluia
Você vai estar aqui para o Apocalipse?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 7 de junho de 2020 - 00:05


Você vai estar aqui para o Apocalipse?

A pandemia atual e outras tragédias recentes têm despertado muitos para sua realidade espiritual, mas é preciso saber aproveitar essa oportunidade

Você vai estar aqui para o Apocalipse?

A realidade bateu à porta de todos. A Covid-19 transformou rotinas e igualou as pessoas. Estrelas de Hollywood, líderes políticos, atletas olímpicos ou gênios da ciência têm que tomar os mesmos cuidados quanto à saúde que o jornaleiro da esquina, a manicure, o entregador de pizza e qualquer outra pessoa.

Todos no mesmo barco, não importa qual seja a origem, cor da pele, situação econômica, crença religiosa, opinião política ou nível de estudo. Até o príncipe Charles, do Reino Unido, contraiu o vírus. Ele se recuperou, mas a princesa espanhola Maria Teresa, prima do rei Felipe, morreu da doença, assim como conhecidos do leitor desta matéria.

Nas ruas vemos máscaras nos rostos, famílias inteiras em quarentena e corrida da comunidade científica para descobrir uma vacina, assim como melhorar aparelhos que auxiliem a respiração.

Covid-19 é só o começo
Mas há um livro bíblico que muita gente pensava que fosse ficção ou realidade muito distante, mas tem mostrado que tudo é muito verdadeiro e presente: o Apocalipse.

O Bispo Renato Cardoso explica o que podemos esperar no fim e a necessidade de estarmos preparados para ele. “Comparado com os eventos profetizados no livro do Apocalipse, o novo coronavírus pode ser considerado insignificante.”

Com isso, ele não minimiza a gravidade da pandemia, mas adverte que algo muito pior do que ela está apenas começando. “Um vírus invisível a olho nu é capaz de abalar o mercado financeiro dos principais países, cancelar voos, fechar escolas e fronteiras, entre outros transtornos – imagine o que acontecerá quando as profecias apocalípticas estiverem a todo vapor?”

O Cavaleiro da Peste nunca esteve tão presente, para quem pensava que ele era somente uma teoria. “As pestes ou epidemias que durante séculos ceifaram a vida de milhares de pessoas em várias partes do planeta serão mais frequentes. Temos visto isso em nossos dias, pois até mesmo doenças que eram consideradas erradicadas têm ressurgido em algumas partes do mundo, deixando as nações em estado de alerta”, disse o Bispo Edir Macedo na Bíblia Fiel Comentada, na qual ele expõe ensinamentos segundo os versículos de Mateus 24. 7- 8.

Fonte confiável
É possível desvendar o Apocalipse, com informações bem detalhadas, no livro A Terra Vai Pegar Fogo, do Bispo Renato Cardoso. Nele, fatos atuais são analisados e conclusões científicas mostram o cumprimento das profecias bíblicas. O leitor pode conferir o que acontecerá durante o período de dominação do anticristo e a importância de o ser humano estar preparado para a volta do Senhor Jesus: “Sim, esta Terra acabará em fogo e o ser humano precisa encontrar outro lugar para viver. Mas esse lugar não é Marte e sim o novo Céu e a nova Terra – a salvação eterna reservada para os que creram no Senhor Jesus e viveram suas vidas na obediência às Suas Palavras.”

Você será mesmo salvo?
Mesmo os sinais atuais sendo os mais claros possíveis, muita gente teima em não acordar para a urgência do assunto. “Apesar de tantas mortes e desgraças, as pessoas continuarão em suas maldades, ainda mais incrédulas e revoltadas contra Deus”, diz o Bispo Renato no livro.

O autor continua a explicar nas mesmas páginas: “O Apocalipse cita, em três ocasiões, uma lista de pessoas perversas e incrédulas que se caracterizam por suas obras más, mas principalmente pela falta de arrependimento, fé em Deus e pela persistência no erro”. A seguir, a lista resumida — que você pode ver com mais detalhes no livro – dessas pessoas:

Os incorrigíveis: os que se recusam a se arrepender de seus erros e a crer em Deus.

Os idólatras: adoram ídolos e, consequentemente, os demônios atrás deles. Sim, há espíritos malignos por trás de todo ídolo. Qualquer coisa ou pessoa – que não seja o Senhor Jesus – que ocupe o primeiro lugar no coração de alguém torna-se um ídolo.

Os assassinos: não apenas os que tiram a vida dos outros, mas também os que promovem o ódio. A Bíblia afirma que quem odeia o seu próximo comete homicídio. É impressionante quantos religiosos promovem o ódio.

Os praticantes de feitiçaria: são os que procuram se comunicar com os mortos, acender velas para as almas, conhecer o futuro por meio de adivinhação, mudar a sorte por rituais que invocam elementos da natureza ou espíritos, atingir ou “abençoar” pessoas por meio de encantações, etc.

Os praticantes de pecados sexuais: todos os que se desviam da prática natural e saudável do sexo dentro do casamento. Adultério, pornografia, sodomia, orgia, masturbação, homossexualismo, fornicação, prostituição, perversão de gênero, etc. O Senhor Jesus alertou que os pecados sexuais começam na mente e no coração.

Os ladrões: quem toma o que não é seu é ladrão. Isso abrange muito mais do que os que roubam à mão armada. Há quem roube até a Deus.

Os mentirosos: aqueles que praticam a mentira já fizeram do diabo o seu pai. Quem rejeita e não pratica a verdade rejeita a Deus.

O escritor, porém, diz no livro que ainda há tempo para quem quer evitar o sofrimento eterno: “É claro que, enquanto estiverem vivas, ainda há chance para essas pessoas. Nem Deus nem a Igreja condenam qualquer pecador. Mas, para que elas sejam livres dos juízos, precisam decidir abandonar seus erros e se voltar para Deus”.

A quarentena é uma ótima oportunidade para que todos reflitam sobre suas condutas. Quando o dia a dia estava normal antes dela, as obrigações e as distrações impediam essa reflexão. Muita gente pode estar nessa lista acima mesmo sem ter se dado conta disso.

Liderança mundial
No atual cenário da pandemia mundial, tudo está se encaixando para o Fim dos Tempos. Muitos podem discordar, mas, segundo as Sagradas Escrituras, a Humanidade se desesperará e, diante da forte carência de bons líderes – o que já acontece atualmente –, exigirá uma liderança mais eficaz, que surgirá em meio à crise, como está em Apocalipse 6.

Esse líder mundial será o anticristo. Ele virá com uma máscara de pacificador (e isso fará todos gostarem dele) conquistando muitos com seu carisma e suas palavras. Entretanto depois o disfarce cairá e ele revelará sua real natureza do inferno.

Será que agora, com tudo que vem acontecendo, quem não pensava nisso finalmente está acordando? Testemunhos de algumas pessoas comprovam que sim.

“Eu resistia ao Espírito Santo”
O mundo e os maus costumes exerciam um grande fascínio em Tânia Cristina da Silva,  de 36 anos, de Belém, no Pará. Mesmo frequentando a Universal, a realidade espiritual era algo distante para a moça. “Fui obreira durante dois anos, dos 17 aos 19 anos, mas ficava olhando a curtição de outras pessoas fora da Igreja e acabei me envolvendo com uma pessoa que não era da fé.”

Em vez de tomar como exemplo os ensinamentos de Deus, que vinham do Altar, seguiu o comportamento do mundo. “Em vez de ouvir os conselhos das pessoas da Universal para que eu não seguisse o caminho do pecado, fiquei magoada com elas, cega, com as referências erradas e me afastei da Obra”.

Só que Tânia se afastou de muito mais: “Saí da igreja, abandonei a fé no Senhor Jesus e fiquei afastada durante 17 anos da presença de Deus. O tempo passou, tive muitos problemas espirituais, principalmente na área sentimental, que tanto fere a gente quando não se faz o que é certo, não se usa a cabeça”.

Em meio a isso, aconteceu o grande surto mundial do novo coronavírus. O isolamento forçado da vida social também acabou por afastar Tânia daquela vida sem sentido, em busca somente de prazer e satisfação de suas próprias vontades e de seus sonhos somente humanos.

“Longe de tudo e de todos, acabei vendo que aquelas coisas do mundo não tinham me dado nada, a não ser sofrimento. De que adiantava tudo o que eu tinha perseguido e feito?”

A quarentena, já difícil até para quem tem a vida espiritualmente estruturada, foi ainda pior para a paraense: “quando chegou esse período do coronavírus, o meu problema espiritual se agravou. Caí em depressão, tentei o suicídio três vezes, quis cortar o meu pescoço com uma faca. Mas um dia me lembrei do que ouvia na Universal lá atrás e percebi que se me matasse, se morresse sem realmente estar com Deus, meu destino seria o inferno. Fiquei, depois de quase 20 anos sem pensar nisso, com medo de perder a minha Salvação.”

Mas Deus não havia abandonado Sua filha: “o grupo do Resgate da Universal teve conhecimento da minha situação. Em busca dos afastados, conhecidos meus informaram a eles que eu não estava nada bem. O grupo me procurou e me deu todo o apoio espiritual. Eu, que já vinha pensando na minha Salvação, resolvi parar de resistir à Voz do Espírito Santo. Eu O havia abandonado, mas Ele não quis me abandonar. Tomei a decisão da voltar para Jesus e fui batizada nas águas”.

Tânia se diz ao mesmo tempo admirada e ciente de que pode vencer. “É incrível como estou muito bem e vivo uma nova vida em tão pouco tempo na Presença de Deus de novo. Ainda é difícil, claro, mas tenho uma força diferente da de antes para enfrentar tudo. Voltei e recomecei como membro da Universal. Todos domingos e quartas-feiras estou na Igreja, seguindo as restrições das autoridades para preservar a minha saúde e a dos outros.”

A dracma perdida
O Senhor Jesus, em uma de Suas pregações, fez um questionamento aos ouvintes: “qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. (Lucas 15.8-10).

“Eu era essa dracma perdida”, diz Cristiane da Silva Costa, de 38 anos, de São Paulo. “Fiquei por vários anos na Universal, mas estava nela somente por estar, cumpria um ritual. Não obedecia à Palavra Deus.”

Ao se afastar, ela foi presa fácil para os apelos do mundo: “eu tinha depressão desde os 12 anos. Tinha todos os motivos para procurar a ajuda de Deus desde cedo, mas não procurava. Hoje vejo que, embora eu O tivesse abandonado, Ele nunca me deixou, mesmo sem eu saber, pois tentei suicídio três vezes e em todas elas houve livramento”.

O isolamento social causado pela Covid-19 acabou sendo uma boa oportunidade, apesar de tudo. “Deus permitiu que todos fossem tirados de perto de mim. Antes, eu fugia de olhar para dentro de mim e me distraía com as pessoas. Finalmente, ao olhar para o meu interior, vi minha alma pedindo socorro lá do inferno”.

A dificuldade não foi pouca, mas, mesmo assim, veio a luz. “Estava com a vida no fundo do poço. Sentia tanta dor na alma que nem o cobertor tirava a febre que eu tinha por causa da depressão. Foi quando decidi ir à Universal. Nem sei como cheguei ao Templo de Salomão”, lembra Cristiane.

Ela, por fim, alcançou a transformação que buscava. “Ali recebi uma paz imensa. Hoje estou livre da depressão, me batizei nas águas, pois foi o Senhor Jesus me transformou. O segredo para tudo isso acontecer é obedecer à Palavra de Deus. Fui resgatada!”

Ela deixa um conselho ao leitor: “Assim como Deus me deu uma oportunidade, hoje ele lhe dá essa oportunidade de voltar para os braços dEle, se você está afastado ou nunca pensou nisso. A quarentena deve ser vista como uma oportunidade. Os sinais de que o Senhor Jesus está voltando estão aí para quem quiser ver e estou a caminho de ser salva e estar com Ele para sempre. Enquanto isso não acontece, já tenho a vida com Deus. Sem medo de morrer, mas com vontade de viver, acordo sorrindo todo dia”.

Não “cochile” na fé
A Terra Vai Pegar Fogo traz em suas páginas algo sobre o alerta final do Altíssimo: “A força da nossa fé, a esperança viva dos que obedecem à Palavra de Deus, é a certeza de Sua vinda. Nunca, jamais, deixe que a aparente demora do cumprimento das profecias o faça cochilar na fé. Esteja sempre alerta!”

A Bíblia deixa bem claro que, agora ou nos últimos dias do Fim dos Tempos, só será salvo quem aceitar e seguir o Senhor Jesus. É a Salvação de todos, famosos ou anônimos, ricos ou pobres, que está em jogo, inclusive a sua, acredite você ou não. As pessoas que contaram suas histórias nessas páginas resolveram não esperar mais e já colhem bons frutos.


Você vai estar aqui para o Apocalipse?
  • Marcelo Rangel / Fotos: Getty images, divulgação e cedidas 


reportar erro