Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 23 de agosto de 2018 - 00:05


Você se sente anulado no casamento?

Entenda onde está o erro e saiba como corrigi-lo

Quando um cônjuge anula o outro ou a si mesmo o casamento fica desequilibrado. E relacionamentos assim não funcionam. Quem explica é o casal Renato e Cristiane Cardoso, autores do livro “Casamento Blindado 2.0 – O Seu Casamento À Prova de Divórcio” e apresentadores do programa de televisão “The Love School – A Escola do Amor”.

“O anulado se sente ignorado, sem importância, inferiorizado”, afirma Renato Cardoso.

Isso foi o que aconteceu, por exemplo, com Lui e Daniele. Durante cinco anos o casal, em decorrência de diversos problemas, teve um casamento transtornado. A forma como lidava com as situações, porém, fez com que tudo se tornasse ainda pior.

“Eu tinha essa personalidade forte então eu o via como alguém que era fraco, que cedia sempre”, explica Daniele. “Na minha cabeça era assim: eu não tenho que deixar de ser forte para ele se sentir forte”.

Com essa forma de pensar Daniele tomava todas as decisões, anulando qualquer opinião de seu esposo. Ele, por sua vez, cansado de não ser ouvido foi deixando de se expressar: “Eu me comunicava, mas era sempre rechaçado: ou ela brigava ou simplesmente não entendia. Então a minha solução foi me afastar”.

Esse era um casamento fadado ao fracasso. Sentindo-se desvalorizado e se afastando cada vez mais, Lui pensava em divórcio. Daniele, por sua vez, entendendo que seu marido não era bom o suficiente para estar com ela, algumas vezes também desejava se separar. Felizmente, eles conseguiram corrigir seus erros a tempo. Clique aqui e veja como esse casal superou os problemas.

A lição a aprender

Todos os casais passam por situações difíceis, sejam financeiras, familiares, sucesso desigual entre os pares ou de qualquer outro âmbito. O que os cônjuges precisam entender é que sempre sobrepor sua vontade anula o companheiro e, se isso acontece, o casamento se transforma em um verdadeiro inferno tanto para o anulado quanto para o anulador.

“Normalmente, quando a pessoa tem personalidade diferente da outra ela não tem paciência”, explica Cristiane Cardoso. “O ruim disso é que, além de você não aceitar que aquela pessoa seja diferente de você, você não a ouve. Você não quer saber o que ela pensa, porque você acha que o seu jeito é certo e ela está errada em não seguir o seu jeito”.

Para Renato, “essa falta de habilidade de ouvir um ao outro faz com que as pessoas se sintam frustradas”. Por isso, ele ressalta que a forma correta de agir em um casamento é expor todas as ideias, pensar juntos, respeitar a opinião alheia e encontrar a melhor solução.

“Então os dois debatem o problema, debatem as ideias, chegam a uma solução em comum. Então a solução é dupla, é dos dois. Se tiver sucesso é dos dois, se tiver fracasso é dos dois. Então isso é uma relação saudável”.

Se em seu casamento você tem se sentido anulado por seu parceiro, participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, no Templo de Salomão, em São Paulo ou encontre o endereço de um local mais próximo de você, clicando aqui. Caso seu cônjuge não esteja disposto a ir, você pode assistir à reunião e iniciar o processo de cura de seu casamento sozinho. Depois que seu parceiro perceber a sua mudança ele também vai querer participar.


  • Andre Batista / Imagem: Fotolia 


reportar erro