Rede aleluia
TikTok tem influenciado problemas psicológicos e sociais entre adolescentes pelo mundo
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 18 de Agosto de 2021 - 14:48


TikTok tem influenciado problemas psicológicos e sociais entre adolescentes pelo mundo

Problemas gerados pelas tecnologias nessa fase da vida merecem atenção dos adultos

TikTok tem influenciado problemas psicológicos e sociais entre adolescentes pelo mundo

Segundo relatório “The State of Mobile”, da App Annie, o TikTok tem sido a rede social em que as pessoas mais gastam tempo acompanhando. O aplicativo ficou à frente até mesmo do Youtube e do Facebook.

Entretanto, o que era para ser um ambiente virtual com vídeos curtos de memes e danças se tornou em um espaço de brincadeiras perigosas e até registros de suicídios. Os efeitos colaterais chegaram.

Alguns dos casos

Só para ilustrar, uma garota de 16 anos, chamada Priyanka, cometeu suicídio, após ter sido repreendida pela mãe por assistir e gravar vídeos no TikTok.

Outro caso que chamou atenção foi de um brasileiro, de 19 anos, que transmitiu o suicídio ao vivo pela rede social. Cerca de 280 pessoas acompanharam a fatalidade em tempo real.

Além disso, há outros problemas envolvendo a plataforma. Por exemplo, os desafios perigosos que viralizam. Anna Worden, de 18 anos, fraturou o crânio depois de tentar pular da porta de um carro, em uma gravação (imagem à direita).

Igualmente, o fato de vídeos conterem crianças de apenas 8 anos em danças sensuais tem chamado a atenção dos pais para os perigos da pedofilia.

Vale ressaltar que cerca de 41% dos usuários do TikTok possuem idades entre 16 e 24 anos.

Diferenças entre gerações e problemas familiares

O mundo mudou tanto – e as tecnologias têm ajudado a acelerar essa transformação – que cerca de 20 anos de uma geração para a outra já é o suficiente para haver um choque de mentalidade.

Haja vista a discussão recente que tomou as redes sociais entre as gerações Millennials (pessoas que nasceram entre 1980 e 1994) e Z (os nascidos entre 1995 e 2010). Pagar as contas por boletos, por exemplo, em vez de usar o aplicativo do celular pode ser considerado algo “cringe” (vergonhoso) para os mais novos.

Imagine quando essa distância de idade chega entre pais e filhos. O mundo em que os pais cresceram é totalmente diferente do contexto enfrentado pelas crianças no mundo de hoje. Isso é evidente.

Segundo Ministério da Saúde, por exemplo, os atendimentos pelo SUS relacionados com depressão aumentaram 50% de 2015 a 2018 – sobretudo, entre jovens de 15 a 29 anos.

Parte desse problema envolve o núcleo familiar: “O episódio de depressão começou em uma perda. Dessa perda se desencadearam outras reações. É isso o que nós percebemos. O adolescente, lá atrás, viu o pai agredir ou abandonar a mãe (e vice-versa). Dali para frente, ele começa a dizer para si mesmo: ‘Eu não posso confiar nas mulheres ou eu não posso confiar nos homens'”, explicou o Pastor Walber Barboza, em episódio da série “Jornal da Record, Família – Novos Desafios“.

Portanto, o ideal é que os pais saibam se comunicar melhor com os filhos para amenizar as tensões debaixo do teto.

Força Teen Universal (FTU)

Em toda a Universal, há o grupo Força Teen Universal (FTU) que realiza um acompanhamento junto aos adolescentes, entre 11 e 14 anos de idade. Essa é uma das fases mais turbulentas da vida, por isso o grupo tem auxiliado inúmeras famílias neste desafio.

Para saber mais, você pode procurar por uma Universal mais próxima de sua casa (consulte o endereço aqui). Confira também outros conteúdos sobre o FTU.


TikTok tem influenciado problemas psicológicos e sociais entre adolescentes pelo mundo
  • Da Redação / Foto: iStock, Reprodução FOX 17 


reportar erro