Rede aleluia

Notícias | 8 de agosto de 2018 - 14:36


Templo de Salomão aberto a todos

Idosos visitam o Jardim Bíblico pela primeira vez

Intervir a favor de alguém, auxiliando-o espiritualmente e estendendo-lhe a mão, é o objetivo do projeto Intercessor, do grupo Calebe. Esse trabalho é realizado com os idosos por intermédio de visitas frequentes a casas de repouso, hospitais e outras instituições que oferecem assistência e acolhida a essas pessoas em situação de vulnerabilidade social ou com algum grau de dependência.
“É gratificante ganharmos almas por meio desse trabalho. O que chama nossa atenção é que, muitas vezes, quando chegamos aos locais, as pessoas estão tristes e cabisbaixas, mas, com a nossa presença, elas ganham ânimo, disposição e logo começam a interagir conosco”, explica o Pastor Ivonilton Alves da Silva, coordenador do projeto e responsável pelo Calebe no Templo de Salomão (Calebe TS), localizado no bairro do Brás, em São Paulo.
No entanto, no dia 13 de julho, ocorreu um ação diferente: em vez de visitarem uma instituição, membros do projeto Intercessor recepcionaram um grupo de idosos acompanhados pelo Centro Dia para Idosos Adoniran Barbosa (CDI)/ Associação de Mulheres Amigas de Jova Rural (Amajor), que atende idosos com limitações que convivem com suas famílias e presta atendimento integral e multidisciplinar. Eles e alguns familiares participaram do passeio pelo Jardim Bíblico, no Templo
de Salomão.
Recebidos pelo Bispo Sergio Gonçalves, responsável pelo Calebe no Brasil, e pelo Pastor Ivonilton, os dois grupos de idosos, do Calebe e do CDI, se encontraram para realizar o que seria o primeiro passeio para a maioria deles.
Durante a visita, o Bispo Sergio Gonçalves também deu detalhes de como é a atuação dos integrantes do projeto: “quando visitamos os locais, levamos a Palavra de Deus a essas pessoas para fortalecê-las e abençoá-las. Acredito que foi isso que despertou o interesse delas pelo trabalho que fazemos e de conhecerem o Jardim Bíblico”.
Os visitantes
Cerca de 50 pessoas entre “calebes”, idosos do grupo visitante, familiares e profissionais multidisciplinares da instituição participaram do passeio.
Segundo Geraldo André Silva, gerente de serviços do CDI, a ideia de fazer o passeio partiu dos próprios idosos atendidos pela instituição. “Nós realizamos atividades mensais com o grupo. Então, entramos em contato para solicitar a gratuidade do passeio, uma vez que temos cunho social. Atendemos a uma demanda deles que pediram para visitar o local e estavam ansiosos para vir e poder conhecer melhor a relação entre a cultura judaica e a cristã”, disse.
Oswaldo Ribeiro, de 74 anos, é um dos integrantes da instituição e ficou satisfeito de conhecer o Jardim Bíblico. “A visita foi maravilhosa, foi uma experiência muito válida. Eu senti como se realmente estivesse em Israel e fiquei com muita vontade de voltar mais vezes”, comentou.
Já Genilse Lopes Gomes, de 68 anos, e Julia Bueno, de 70 anos, integrantes do grupo Calebe TS e do projeto Intercessor, também realizaram a visita pela primeira vez. Elas falaram como foi enriquecedor fazer parte do passeio pelo Jardim Bíblico com o grupo. “Foi muito agradável participar da visita. Eu já conhecia um pouco da história de Israel, mas aprendi muito mais participando do passeio. Eu me senti muito bem”, afirmou.
Para Julia, o passeio foi uma oportunidade de resgatar lembranças. “Há 20 anos viajei para Israel e pude relembrar o que já estava esquecido. Mesmo para quem nunca foi a Israel, o passeio é uma experiência de vida maravilhosa e motivou muito o grupo de idosos que estava conosco”, concluiu.
Os voluntários
Os membros do projeto Intercessor realizam visitas a casas de repouso, hospitais e outras instituições que abrigam idosos e levam auxílio espiritual e também doações. As ações são realizadas todas as terças, sextas e domingos. O projeto foi estruturado há cerca de três meses e já conta com 70 voluntários. Contudo, ações semelhantes a essas são desenvolvidas desde o início do Calebe no Brasil, em 2012.
Hoje, o grupo Calebe reúne mais de 129 mil participantes e 37 mil voluntários em todo o Brasil. Só no Templo de Salomão, em São Paulo, já são 500 pessoas envolvidas com o grupo, somando membros e voluntários.


  • Michele Roza / Fotos: Marcelo Alves 


reportar erro