Rede aleluia
Seria o fim da lua-de-mel da imprensa com Lula?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
Baln. CamboriúBlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 4 de Dezembro de 2022 - 00:05


Seria o fim da lua-de-mel da imprensa com Lula?

Seria o fim da lua-de-mel da imprensa com Lula?

As recentes declarações de Lula contra o teto de gastos repercutiram mal na imprensa, inclusive entre aqueles veículos de comunicação que o apoiaram durante a corrida eleitoral. Globo, Estadão, Folha, UOL e CNN são alguns dos que demonstraram surpresa com as declarações e não pouparam críticas ao petista. Além deles, alguns economistas, que também o apoiaram, se disseram preocupados.

A razão do alvoroço foram as críticas de Lula contra a responsabilidade fiscal. O petista disse que ter um limite de gastos no governo seria prejudicial aos programas sociais.  “Se eu falar isso, vai cair a bolsa, o dólar vai aumentar? Paciência”, declarou, ignorando que a instabilidade na economia gera inflação, desemprego e aumenta a pobreza.

Em editorial, o jornal O Globo afirma que Lula está testando a paciência do brasileiro que sabe fazer contas. Já a Folha de S. Paulo diz que a sangria dos cofres públicos alimenta a inflação, os juros e a dívida pública. Em entrevista à CNN, a economista Elena Landau desabafou: “estou muito pessimista. A gente esperava um Lula pragmático e o que a gente está recebendo é uma continuidade do governo Dilma”.

O pensamento de Lula é o pensamento da esquerda, por que esperavam algo diferente? Nada do que Lula está fazendo é novidade. Os que o apoiaram e hoje reclamam, aparentemente passaram os últimos meses (ou anos) ouvindo tanto a si mesmos que se esqueceram de ouvir o que ele dizia.

Logo na página 10 do documento apresentado por Lula ao TSE, chamado de Diretrizes para o programa de reconstrução do Brasil, no item 51, há o seguinte texto: “Vamos recolocar os pobres e os trabalhadores no orçamento. Para isso, é preciso revogar o teto de gastos e rever o atual regime fiscal brasileiro, atualmente disfuncional e sem credibilidade”. Ou seja, o plano de revogar o teto de gastos estava lá, com todas as letras, desde o início.

Profissionais respeitados, que se posicionam como “formadores de opinião”, não leram esse documento? Brigaram pela eleição de Lula sem terem lido nem sequer as dez primeiras páginas do “contrato” que tentavam convencer a sociedade a assinar? Fora os vídeos de entrevistas em que o petista diz a mesma coisa. Pelo menos isso ele não escondeu de ninguém.

Lula não é novidade. O PT não é novidade. Já conhecemos seu modo de governar, que quebrou o Brasil e foi responsável pelo maior escândalo de corrupção já visto neste país. Não existe razão para pensar que algo seria diferente desta vez. Se temos que esperar alguma coisa para o próximo mandato de Lula, é que o PT se manterá fiel à sua natureza e será ainda mais PT.

A fábula do sapo e o escorpião conta que um escorpião pediu ao sapo que o levasse em suas costas. O sapo, prudente, se recusou, tinha receio de ser ferroado. O escorpião argumentou, dizendo que jamais faria isso, pois, se o ferroasse, ambos afundariam e morreriam. Parecia lógico. O sapo, então, concordou em dar carona. No meio da travessia, o escorpião o ferroou. Confuso, o sapo perguntou: “por que você fez isso? Agora nós dois vamos morrer!”. O escorpião, então, respondeu: “sinto muito. Não pude evitar. Esta é a minha natureza”.

Da mesma forma, é da natureza da esquerda a política econômica irresponsável, a fraude e a corrupção. Não é inteligente pensar que colocar o PT em nossas costas agora mudaria alguma coisa. Não podemos esperar de Lula nada melhor do que o que ele já fez, já que, até agora, não reconheceu seus erros ou pediu perdão. Se não há arrependimento, não há mudança. E, infelizmente, a tendência é que, de volta ao cenário onde tudo aconteceu, repita os erros que o fizeram ser rejeitado. Aliás, se fosse só repetir os erros, menos mal. Se contar tudo o que o PT já prometeu a respeito de um possível novo mandato presidencial, o cenário é muito pior – inclusive para a imprensa.

Se, mesmo após essa “decepção”, a lua-de-mel entre Lula e a imprensa ainda não terminou, em breve certamente irá terminar. Afinal de contas, o fim do teto de gastos é apenas o começo das decisões impopulares que ele prometeu tomar.

Vanessa Lampert, jornalista


Seria o fim da lua-de-mel da imprensa com Lula?
  • Vanessa Lampert / Foto: Getty Images 


reportar erro