Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 10 de junho de 2018 - 03:05


Recém-saída de uma clínica, Joyce ainda sentia vontade de beber, usar maconha e fumar cigarro

Assista ao vídeo e veja como o Tratamento para a Cura dos Vícios vem mostrando resultado na vida daqueles que querem se libertar das drogas

A cannabis é a droga psicoativa mais usada no mundo todo – nas preparações mais comuns desta substância que são a maconha e o haxixe – segundo a organização Mundial da Saúde (OMS), com mais de 180 milhões de usuários, entre pessoas de 15 a 64 anos. Soma-se a isso, mais duas substâncias que ainda são as grandes vilãs entre as drogas que viciam, o álcool e o cigarro.

Estudo divulgado pela publicação Addiction, da Society for the Study of Addiction (Sociedade para o estudo da dependência, em tradução livre), reuniu informações globais sobre a utilização de substâncias lícitas e ilícitas e sua associação a mortes e doenças. Em 2015, o uso abusivo do álcool alcançava 18% dos adultos e, pelo menos, 1 em cada sete adultos fumava diariamente.

Estas três drogas devastadoras citadas acima faziam parte da rotina de vida de Joyce. Havia apenas duas semanas que ela tinha saído de uma clínica de recuperação, mas mesmo assim continuava o forte desejo de usar maconha, beber cachaça e fumar cigarros.

Assista ao vídeo e veja o que aconteceu com Joyce, depois de passar pelo Tratamento para a Cura dos Vícios:

Se você quer se libertar dos vícios, ou não aceita mais o sofrimento de um familiar ou de um amigo, participe das palestras que acontecem todos os domingos, na Avenida João Dias, 1800, Santo Amaro, zona sul da capital paulista, às 15h e às 18h.

Para participar desse mesmo encontro em outras regiões clique aqui e procure por uma Universal mais próxima de você. E, para outras informações, acesse o site www.viciotemcura.com e entre em contato diretamente com a equipe do Tratamento pelo WhatsApp.


  • Por Michele Roza / Foto: iStock 


reportar erro