Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 17 de fevereiro de 2020 - 13:49


Que legado você está construindo?

As atitudes que você tem em vida deixam o seu exemplo, sobretudo as que traçam o caminho para a Eternidade

Até quem não é ligado a esportes ficou chocado com a notícia, no dia 26 de janeiro, da morte do astro do basquetebol Kobe Bryant. Aos 41 anos, o norte-americano foi vítima de um acidente de helicóptero que envolveu também sua filha Gianna, de 13 anos, e mais sete pessoas.

Um dos maiores esportistas de todos os tempos, Bryant colecionou títulos e ganhou um Oscar em 2018 por um curta-metragem de animação que escreveu e narrou. Ele também ficou em evidência por boas ações em prol dos sem-teto e de jovens carentes.

Em 2016, Bryant encerrou uma carreira de 20 anos no basquete marcando 60 pontos em seu último jogo. Foi campeão da Liga Nacional de Basquetebol (NBA, na sigla original) cinco vezes, conquistou duas medalhas de ouro olímpicas, foi 18 vezes ao All-Star Game (jogo amistoso anual entre os melhores jogadores do período) e é o terceiro maior artilheiro da história da NBA.

Os títulos e contratos publicitários lhe renderam centenas de milhares de dólares. A trajetória de sucesso nas quadras também foi marcada negativamente por um grande deslize fora delas. Em 2003, ele, já casado na época, foi acusado de estuprar uma mulher. Bryant admitiu a traição, mas não o estupro. Inocentado no tribunal, emitiu um pedido público de desculpas. Perdeu muitos patrocinadores. O casamento acabou anos depois, mas, depois de um tempo, houve a reconciliação.

Depois disso, o atleta criou a Fundação Família Kobe e Vanessa Bryant, dedicada, entre outras coisas, a incentivar o desenvolvimento de habilidades físicas e sociais por meio do esporte e ajudar os sem-teto.

Ele começou a valorizar a família e a enxergar a realidade bem além de seu ego, como revelou numa entrevista: “Não quero olhar para trás e dizer ‘bem, eu tive uma carreira bem-sucedida porque ganhei tantos campeonatos e marquei tantos pontos’. Há mais a fazer. É fácil apontar para alguém sem casa e dizer ‘você fez más escolhas, se está assim é culpa sua’. Na vida, todos cometemos erros, mas ignorar e permitir que alguém viva dessa forma é como lavar as mãos, não é certo”.

Exemplo que fica
Um legado é construído quando se está vivo por meio de atitudes que valorizam a família e fazendo bem ao próximo, por exemplo. Mas essas ações devem ser obrigatórias na vida de todos que se consideram cristãos. Dessa forma, o exemplo construído em vida deve ser constituído de mais que isso.

Na Bíblia, Saulo perseguia cristãos, mas, convertido e com o nome mudado para Paulo, foi um dos maiores propagadores da Fé no Senhor Jesus. Davi deixou o poder lhe subir à cabeça e cometeu adultério, mas se arrependeu e demonstrou sua submissão a Deus.

Esses dois homens conquistaram a Salvação porque, mesmo após terem pecado, reconheceram seus erros e se voltaram a Deus até o fim de suas vidas. Para exemplificar essa questão, o Bispo Renato Cardoso, no programa Inteligência e Fé, citou três tipos de pessoas que pensam equivocadamente como conquistarão o Reino de Deus.

As que pensam que são boas: “você se julga uma pessoa boa segundo os padrões de quem? Os seus próprios? Me desculpe, você é suspeito. A verdade é que, se vai ser julgado por Deus, precisa olhar as leis de Deus. Está escrito que não há ninguém que seja bom (Romanos 3), todos pecamos e estamos abaixo dos padrões das leis divinas”, disse o Bispo Renato Cardoso.

As que fazem caridade: “você tem a ideia errada de que no final Deus vai pesar na balança as suas boas e más obras? Não é por aí. A Bíblia diz diretamente que a Salvação não é por obras, mas pela Fé no Senhor Jesus (Efésios 2. 8-9). As boas obras são apenas a nossa obrigação”, advertiu.

As religiosas: “quando você morrer, Deus não vai lhe perguntar que denominação frequentava (…). O Senhor Jesus é o caminho e, se você não crer nEle como único Senhor e Salvador, não viver de acordo com esta Palavra, não terá a Salvação”, alertou o Bispo.

Não há como duvidar que as boas ações constroem um legado terreno grande, mas a comunhão com Deus e a garantia da Eternidade ao lado dEle são os exemplos mais importantes que devem ser buscados. “Porque pela graça sois salvos, por meio da Fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. (Efésios 2.8-10).


  • Marcelo Rangel / Foto: getty images e reprodução 


reportar erro