Rede aleluia

Notícias | 21 de dezembro de 2016 - 02:00


Quando o desejo de ter filhos é maior do que a razão

Leia essa matéria e reflita

Ter filhos em um mundo tão complicado e consumista parece não ser uma boa ideia para muita gente, especialmente para a escritora francesa Corinne Maier, que no início do mês de dezembro causou polêmica ao dar um depoimento à rede BBC dizendo que tem muitos motivos para odiar crianças – detalhe: ela é mãe de dois filhos –, e que “os adultos estão tão obsessivos por seus filhos e tão exaustos por ter de cuidar deles que não têm energia para mais nada”.

Corinne é autora de diversos livros, mas a publicação de 2009, No Kids: 40 Good Reasons Not to Have Children” (em português, “Sem Crianças: 40 Boas Razões para Não se Ter Filhos), é a mais polêmica, afinal, ela diz que ter filhos transformou a vida dela numa quase escravidão. “Criar um filho é 1% de felicidade e 99% de preocupação”, comenta ela no livro.

Para a escritora, ser mãe ou pai se tornou um trabalho que consome muito tempo e dinheiro. “Criar os meus filhos não apenas me deixou exausta, mas também me levou à falência”, ressalta.

De fato, não adianta achar que realizar o sonho de ser mãe ou pai vai mudar a sua vida para melhor. Não se engane. Crianças trazem sim muitas alegrias, são lindas, puras, mas dão trabalho mesmo, e se a pessoa não estiver preparada para encarar os desafios que surgem, certamente vai se enrolar na criação e, ao contabilizar a sua vida pós-filhos, com certeza se arrependerá.

“A maternidade não é para aventureiros, mas para quem tem os pés no chão e condições de criar um filho num ambiente saudável e feliz, com pais bem resolvidos tanto financeira como espiritualmente. No entanto, o mundo tem se mostrado totalmente do avesso. Talvez, se eu tivesse que optar hoje por ter filhos, não sei, acho que não teria, repensaria a ideia, mas nunca me arrependerei de ter tido o meu, que consome, sim, o meu tempo, mas para mim é gratificante ver os frutos do nosso empenho em prol dele, o seu desenvolvimento, a sua alegria e, sobretudo, o seu amor”, afirma Alice Alves, de 45 anos, mãe de um filho de 11.

A responsabilidade

Por outro lado, muitos casais hoje em dia optam por não ter filhos; isso já é praticamente uma tendência (saiba mais clicando aqui). O receio de colocar uma pessoa neste mundo complicado tem feito muitos abrirem mão de constituir uma família com filhos. Mas essa não é a regra para um casal viver pior ou melhor do que os que decidiram tê-los.

O bispo Edir Macedo, líder e fundador da Universal, destacou em uma de suas mensagens que a responsabilidade como pai e mãe não é apenas material, mas, acima de tudo, espiritual.

“Você traz um filho a este mundo, a probabilidade é grande ou pequena de ele ser convertido? Use o raciocínio. Nós estamos no Fim”, alertou ele.

E para quem já tem filhos e precisa de uma orientação especial para lidar com eles, ou é filho e também está passando por situações difíceis dentro de casa com os pais, aos domingos, às 18 horas, acontece, no Templo de Salomão, uma palestra denominada Transformação Total de Pais & Filhos, realizada pelo casal Renato e Cristiane Cardoso. Vale a pena participar.


  • Por Ivonete Soares / Fotos: Thinkstock 



reportar erro