Rede aleluia
Qual é o seu verdadeiro tesouro?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de outubro de 2020 - 00:05


Qual é o seu verdadeiro tesouro?

Reflita sobre onde você tem colocado o seu coração e o que tem priorizado

Qual é o seu verdadeiro tesouro?

Como muitos já disseram e tantos outros repetem estamos vivendo tempos estranhos. Para comprovar isso, basta observar alguns sinais.

Hoje é considerado normal, por exemplo, ser fã de um artista da TV ou do cinema e não há nada errado nisso. O problema talvez aconteça quando os mais incautos ultrapassam o limite que subverte a simples admiração.

Quem não conhece aquele cara que idolatra alguém da TV ou um jogador de futebol a ponto de ser até obsessivo nas atitudes em relação a ele? Esse homem é capaz de sofrer com os problemas da vida dessa pessoa sem nem sequer ter intimidade real com ela. Não estamos dizendo que o artista, seja ele dos palcos ou da bola, não valorize seus fãs. A verdade é que, no contexto geral, os fãs acabam sendo apenas mais um rosto perdido na multidão.

Mas o idólatra não tem essa noção. Ele fica eufórico a cada novo post do seu cantor preferido e aguarda ansiosamente a oportunidade de ver o show que está prometido para depois da pandemia. Na verdade, até conta os dias para que a data marcada chegue logo e replica em suas redes sociais todo tipo de notícia que fala algo do artista.

Ele é capaz de passar dias aguardando acampado em frente ao local em que o tal ídolo fará um show para ocupar o melhor lugar para vê-lo. Falando assim até parece brincadeira, mas, na verdade, não é. Muitos se questionam como podem existir pessoas que agem dessa forma, mas o fenômeno é mais comum do que se imagina e, pior, não é novo.

A própria Palavra de Deus já apontava como isso acontecia bem antes da invenção das redes sociais. O livro 1 Samuel, em seu capítulo 7, por exemplo, conta que por causa da desobediência a Deus e da idolatria, o povo de Israel sofreu terríveis derrotas diante dos filisteus.

Isso aconteceu porque a Arca da Aliança, que sempre era levada à frente das batalhas, não foi consagrada a Deus, sendo levada apenas como um amuleto para a guerra.

O resultado foi catastrófico: mais de 34 mil israelitas morreram e a Arca foi tomada pelos filisteus. Israel entrou em um período de trevas, mesmo depois que a Arca foi retomada. Havia silêncio da parte de Deus e o céu não respondia às orações do povo. Toda casa de Israel se lamentava e 20 anos depois de a Arca já ter retornado, o céu ainda continuava fechado.

Hoje as pessoas estão fazendo a mesma coisa: viram as costas para Deus e ouvem apenas o que seus “deuses” dizem e ainda se espelham na conduta deles. Elas só lembram de recorrer a Deus quando estão com problemas. Oram, mas não são ouvidas, pois Deus não pode atender aqueles que não O servem.

Há homens, inclusive, que colocam as esposas, o trabalho, os filhos, o último lançamento de videogame e, pasmem, até o carro, em um pedestal dourado. Eles fazem dessas pessoas e coisas o seu deus e deixam de viver suas vidas. A Palavra de Deus nos socorre em relação isso em Mateus 6.21, quando descreve: “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”.

Não estamos falando só para quem cresceu alheio às informações bíblicas. Esse recado também é para quem confessa a Fé em Deus, mas está servindo a alguém ou a alguma coisa: os céus se fecham sobre suas cabeças. Volte o coração totalmente a Deus, O priorize e arranque os “deuses” da sua vida. Pare de viver a vida deles para vencer suas batalhas. Se Deus não o livra, não é porque Ele não pode, mas porque você tem servido a outros deuses e não ao Senhor.


Qual é o seu verdadeiro tesouro?
  • Eduardo Prestes / Foto: Getty Images 


reportar erro