Rede aleluia

Notícias | 11 de novembro de 2018 - 00:05


Quais são suas referências de casamento?

Relacionamentos baseados só nas aparências tendem a durar pouco. Descubra como fortalecer a sua união e veja dicas para encontrar a verdadeira felicidade a dois

Existe segredo para que o relacionamento seja duradouro e feliz? De tempos em tempos surgem notícias sobre casais famosos que vivem namoros entre idas e vindas. Apesar da instabilidade, esse tipo de relacionamento costuma atrair a atenção de muitas pessoas, que acompanham todas as fofocas pelas redes sociais.
O fato é que relacionamentos conhecidos como “ioiô” podem ser prejudiciais à saúde. Um estudo publicado na revista Family Relations indica que terminar e voltar várias vezes pode ser ruim para a saúde emocional e mental. Quando o ciclo de términos se repete com a mesma pessoa, as chances de ter depressão e ansiedade aumentam. Enquanto uns se baseiam em celebridades, outros buscam referências em contos de fadas. Mas acreditar na frase “e viveram felizes para sempre” pode ser uma armadilha para quem busca um relacionamento de verdade.
Erros
Por que muitas pessoas não conseguem construir uma união feliz? Segundo a psicanalista Cristiane M. Maluf Martin, alguns casais estão juntos apenas por uma questão de dependência. “Existe uma grande codependência emocional.
São relacionamentos vampíricos, pois nenhum dos dois está feliz. Os dois não conseguem se desvincular e acabam permanecendo juntos, mas a relação está desgastada, não há diálogo, só brigas”, diz ela. A sugestão, nesses casos, é fazer terapia de casal ou recorrer ao processo psicoterapêutico individual.
A especialista afirma que a falta de autoconhecimento e o egoísmo também podem impedir uma pessoa de manter um bom relacionamento. “A pessoa precisa estar resolvida e se conhecer bem antes de começar um namoro. O outro vai ser ‘a cereja do bolo’ e não o bolo inteiro. Por outro lado, há pessoas que não querem formar vínculos, elas têm um medo muito grande de se relacionar e não querem fazer concessões. Algumas pessoas não estão preparadas para dividir, têm uma questão de narcisismo e de individualismo”, avalia.
Outro erro é buscar uma pessoa perfeita. “Muitos homens e mulheres querem uma pessoa sem defeitos, mas isso não existe”, explica. Segundo ela, é importante buscar valores em comum e saber dialogar. “Antes da união, os dois precisam conversar, conhecer os objetivos um do outro, pois são duas pessoas diferentes. Depois, é colocar tudo na balança para saber se ela pende mais para o lado positivo. Quem acha que o casamento é um conto de fadas está enganado”, finaliza.

Casamento duradouro
O Bispo Adilson Silva e sua esposa, Rosana Silva, conhecem os segredos de uma união duradoura (foto a esq.). Juntos há mais de 25 anos, eles explicam que o relacionamento é uma construção diária. Para Rosana, o longo tempo de união tem um significado especial. “Quando chegamos aos 25 anos de casados foi uma honra para mim. Isso é uma vida! Na sociedade de hoje, quando falamos desse tempo de casamento, as pessoas se espantam”, diz. O Bispo atribui o casamento feliz à fé. “Creio que isso fortalece a nossa fé, pois um casamento sólido reflete a vida com Deus. É contraditório dizer que ama a Deus e não valorizar o cônjuge”, afirma.
Questionado sobre o motivo que leva muitas pessoas a se inspirar em celebridades, o Bispo Adilson dá uma pista: “as pessoas se limitam a ver apenas aquilo que a mídia mostra. Em cima disso, a sociedade, principalmente os jovens, abraçam a ideia de que os famosos são as pessoas mais felizes do mundo. A realidade, na maioria dos casos, é outra”.
Ele sugere o caminho para quem deseja uma relação sólida: “o primeiro passo é ter consciência de que nada vem pronto. O relacionamento vai sendo construído aos poucos. É preciso que se saiba que, por mais que duas pessoas sejam compatíveis, elas não são iguais. A começar pelas diferenças naturais entre o sexo feminino e o masculino.
Tudo isso precisa ser respeitado. A capacidade de sacrificar, abrir mão do que você acha, é fundamental para o sucesso. Muitas vezes você tem que optar por ser feliz, em vez de ficar com a razão”.
Quanto a lidar com as diferenças, o Bispo alerta que, para evitar conflitos, o caminho é o diálogo e fazer concessões. “Por exemplo, ela não gosta de ar condicionado e eu gosto. Como duas pessoas assim podem ficar no mesmo ambiente? Até hoje resolvemos o problema de comum acordo. Eu ligo um pouco e depois desligo. Assim fica bom para mim e também para ela”, comenta.
Entre os momentos mais marcantes da união, o Bispo Adilson destaca o apoio que recebeu de Rosana depois de um procedimento médico. “Eu precisei fazer uma cirurgia. Era simples, mas a recuperação seria dolorosa. No término da cirurgia, ao voltar para o quarto, ela ficou ao meu lado segurando a minha mão. Ela não falou nada, mas me ajudou muito”, diz. Rosana também destaca uma ocasião memorável: “quando tivemos que fazer programa de TV juntos. Não tem como esquecer porque foi um desafio para mim”.
Por fim, o Bispo indica que a fé deve ser a principal referência em um relacionamento cristão. “É colocar Deus acima de tudo na relação, focar cada um no seu papel dentro do casamento e na capacidade de renunciar a si mesmo”, conclui.

Diálogo
Casados há pouco mais de um ano, Bruna Cardoso, de 28 anos, e Raian Cardoso, de 27 anos (foto a dir.), conversaram por quase um ano antes da união. Segundo Bruna, a atitude ajudou os dois a se conhecerem melhor. “Se não nos conhecêssemos bem, poderíamos nos frustrar. Por precaução, conversamos sobre os objetivos de cada um e o que queríamos para o futuro. Pesquisei muito a relação dele com a família. Também fizemos o curso Casamento Blindado”, explica.
Bruna conta que o relacionamento depende de parceria. “Acho que não basta contar só com o amor, é preciso ter amizade com a pessoa, porque você vai cuidar dela também.” Antes de iniciar o relacionamento com Raian, ela revela que chegou a fazer uma lista para ter clareza sobre o que buscava em um rapaz. “Busquei primeiro em Deus e fiz uma lista com todas as qualidades que eu desejava em um homem.”
E Bruna sabe do que está falando. Antes de namorar Raian, ela teve um relacionamento de quase 10 anos. Apesar do longo tempo, a jovem explica que o namoro era nocivo. “Eu não me valorizava. Quando você não se conhece, você aceita qualquer coisa. Esse namoro era ruim, a pessoa me traia, mas eu queria manter o status de estar namorando, não conseguia ficar sozinha. Eu buscava alguém para me preencher. Ele desligava o telefone e sumia no fim de semana, depois inventava uma desculpa esfarrapada. Eu sabia que era mentira, mas aceitava”, lembra.
Raian diz que foi colega de Bruna durante o ensino fundamental. Eles se reencontraram no ensino médio e, por fim, em reuniões da Universal. Entretanto, antes de namorar Bruna, ele conta que teve várias desilusões amorosas.
Dessas experiências, Raian tirou algumas lições: “aprendi a colocar os sentimentos de lado. Hoje minha fé vem em primeiro lugar. Fiquei um bom tempo em outro relacionamento, mas eu não tinha estrutura, era imaturo, ciumento, brigava quase todo dia com ela”, diz.
Ele e Bruna começaram a conversar durante reuniões na Universal. “A pessoa certa é aquela que aproxima você de Deus. Nós conversamos muito, conhecíamos os objetivos um do outro. Só não casamos antes por causa das condições”, relata. Após a união, o casal, que é do Rio de Janeiro, se mudou para São Paulo. Raian acredita que essa distância da família ajudou a fortalecer a relação dos dois. Bruna concorda. “Como não havia família para nos socorrer, nós tínhamos que sentar, conversar e resolver nossos problemas”, esclarece. Raian dá uma dica para quem está à procura de um amor: “em primeiro lugar, a pessoa deve avaliar como ela está espiritualmente. Depois, é importante ver se os interesses dos dois estão alinhados. Não dá para escolher uma pessoa com base na emoção”. Ele ainda acrescenta que outro ponto positivo para o cotidiano do casal é a descontração. “Lidar com a Bruna no dia a dia é muito fácil, nós dois somos muito brincalhões, é muito sadio. Eu sou o homem mais feliz do mundo”, garante.

Duas décadas
O casal Luiz Carlos e Regiane Mascaro (foto acima), ambos de 45 anos, vai completar 20 anos de união em dezembro. Antes do casamento, os dois viveram outros relacionamentos. Luiz Carlos lembra que não dava certo com ninguém. “Eu tinha vindo de vários relacionamentos frustrados. Era dependente de álcool e passava dias fora de casa. Há 22 anos, minha mãe procurou ajuda para mim na Universal”, diz. Depois de superar a dependência, ele conta que passou a fortalecer a própria fé.
Regiane também havia enfrentado problemas em outros relacionamentos. “Tive um noivado, estávamos fazendo o enxoval para o casamento, mas ele ficou diferente e terminamos. Depois, namorei um rapaz que me sufocava, me perseguia.”

Os dois começaram a namorar após serem apresentados por amigos em comum da Universal. No início, a mãe de Regiane foi contra a união. “Por conta da história de vida dele, minha mãe não queria, mas fiz um propósito com Deus. Eu e o Luiz Carlos conversamos muito e tínhamos o mesmo objetivo de crescer juntos e ter uma família.”
Apesar dos valores em comum, Luiz Carlos revela que os dois tinham gostos completamente diferentes. “No início eu achava que não seria ela, mas começamos a conversar. Foi um relacionamento dado por Deus. Quando casamos, eu não conhecia nem 0,01% dela. Descobrimos aos poucos o que cada um gostava e fomos nos adaptando”, explica.
Para Regiane, o segredo das duas décadas de união está no diálogo. “Quando moramos debaixo do mesmo teto, é preciso conversar, ter perseverança e bom humor. Não adianta se estressar, tem que tentar tirar o melhor de cada situação.”
Quando se casaram, Regiane já tinha um filho. Depois, o casal teve mais duas meninas. “Aprendi muito rápido a ser pai, casei já sendo pai. Para casar, a pessoa precisa aprender a escutar, entender, relevar e ceder. O casamento é uma grande escola”, pondera.
Ao longo dos anos, o casal revela que enfrentou dificuldades econômicas e até com familiares. “Acho que o mais difícil foi lidar com a mãe dele, ela não acreditava na minha capacidade. Foi uma fase que durou uns três anos. Depois, ela começou a me ver como filha e disse que me amava”, detalha, emocionada. Para Luiz Carlos, os problemas econômicos foram os mais difíceis. “Passamos momentos difíceis na vida financeira, tínhamos filhos e dependíamos da ajuda de familiares. Mas superamos isso com muito trabalho e fé em Deus. Hoje temos uma vida bem suada, mas maravilhosa. Vamos fazer uma lua de mel de 20 anos de casados em Israel”, finaliza.


  • Re Campbell / Fotos: Fotolia, Demetrio Koch / Arte: Edi Edson 


reportar erro