Rede aleluia
Por que você não conclui os projetos que começa?
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de agosto de 2020 - 00:05


Por que você não conclui os projetos que começa?

Saiba como proceder para que os seus sonhos sigam adiante

Por que você não conclui os projetos que começa?

Muitas pessoas elaboram diversos planos e projetos, entram em cursos para alavancar a carreira, desenvolvem seus empreendimentos e, de repente, toda a empolgação inicial que as movia logo desaparece. Várias delas desistem e não conseguem terminar o que começaram. A crise, as adversidades impostas pelo trabalho no dia a dia, a desorganização e a falta de força de vontade podem ser fatores que contribuem para isso. Mas, ao abandonar seus sonhos, muitas podem estar entrando, sem perceber, no caminho do insucesso.

Para o life coach Diego Quiróz, formado pela Fowler International Academy, nos Estados Unidos, as várias demandas diárias podem se tornar um obstáculo para fazer um negócio prosperar. Por essa razão, ele recomenda: “é importante que o seu empreendimento tenha um propósito. Pode ser algo que faça sentido apenas para você, mas ele precisa existir. Ter um negócio é desafiador e se você não está 100% confiante de que aquilo vai dar certo, de que aquilo faz sentido para você, pode acabar desistindo”, analisa.

Para o escritor e palestrante Renato Cardoso, a desistência acontece porque muitas pessoas deixam para depois o que é preciso fazer imediatamente. “Elas têm muitos planos, muitos sonhos, muitas ideias, mas não agem por essas ideias. Então, tudo isso vai se acumulando na mente dessas pessoas e caindo no esquecimento. O resultado é a frustração. Elas passam a não acreditar em si mesmas porque nunca tiram do papel nenhum plano”, diz.

De acordo com Renato Cardoso, o maior prejuízo em não terminar algo que foi iniciado em um projeto ou um negócio é que isso se transforme em hábito. “A pessoa passa a não acreditar em si mesma. Toda vez que ela pensa em iniciar algo, é bombardeada por pensamentos de que, mais uma vez, ela não vai terminar o que começou. Não adianta começar e não terminar. Você pensou em fazer algo? É uma boa ideia e digna de um dia ser perseguida? Escreva isso em algum lugar e guarde para você revisitar regularmente”, aconselha.

Para Quiróz, uma forma de realizar o que foi pensado é planejar a execução a longo prazo. “Tirando os problemas do dia a dia, o empreendimento não é uma corrida de velocidade, mas de resistência, e você precisa entender aonde quer chegar com ele. Toda vez que você muda a natureza do seu negócio para atender às demandas que não são as mais importantes, você se distancia do seu objetivo estabelecido lá no início”, explica.

Quiróz afirma que todo empreendedor enfrenta dificuldades e comete alguns erros, mas que estes também o ajudam a superar os obstáculos. “É preciso valorizar essa experiência. Quase sempre, quando se passa por uma crise, é provável que você se abale, mas para que essa crise não acabe com a sua autoconfiança é fundamental que você aprenda com ela e que avalie que certas medidas e escolhas não servem para determinadas situações”, observa.

É claro que a cabeça do empreendedor está sempre criando coisas novas, mas é preciso ter bom senso. “Minha sugestão é que você finja que não tem opção além do seu negócio, mesmo que elas existam. Quando você tem muitos projetos paralelos, pode deixar de enxergar o seu objetivo inicial de quando começou”, finaliza Quiróz.


Por que você não conclui os projetos que começa?
  • Eduardo Prestes / Foto: Getty images / Arte: Eder Santos 


reportar erro