Rede aleluia
População do Malauí, país africano, sobrevive com carne de ratos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 14 de setembro de 2020 - 18:11


População do Malauí, país africano, sobrevive com carne de ratos

Durante o governo do Anticristo, a fome será comum em todo o planeta

População do Malauí, país africano, sobrevive com carne de ratos

O Malauí, país sul africano, é um dos mais pobres do mundo e durante esta pandemia tem visto seu povo sofrer, ainda mais com a escassez de alimentos. Para evitar a fome (que consequentemente abaixa a imunidade e os expõem à Covid-19), muitos estão consumindo ratos.

Por não ter dinheiro para comprar outro tipo de carne, as pessoas caçam e preparam os roedores. Seu consumo, inclusive, foi recomendado pelas autoridades de saúde, por possuir bastante proteína.

O pior está por vir

Não é de hoje que nações como esta enfrentam uma situação parecida. Mas a situação ainda vai piorar muito depois que o Senhor Jesus voltar para arrebatar a sua igreja. É o que mostra o livro de Apocalipse, quando fala da abertura dos selos e a chegada dos quatro cavaleiros do Apocalipse.

E, havendo aberto o terceiro selo, ouvi dizer o terceiro animal: vem, e vê… e eis um cavalo preto e o que sobre ele estava assentado tinha uma balança em sua mão… ouvi uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: uma medida de trigo por um dinheiro, e três medidas de cevada por um dinheiro; e não danifiques o azeite e o vinho.

Apocalipse 6:5,6

“A paz prometida pelo Anticristo falhará, então haverá uma guerra como nunca houve, armas químicas e nucleares poluirão a terra, numa escala global. Uma das consequências disso é a devastação dos países e, logo depois, a fome”, explica o Bispo Renato Cardoso, durante o Estudo do Apocalipse.

Racionamento e controle

Ainda de acordo com o Bispo, a balança que o cavaleiro preto traz na mão significa a medição de alimentos, um verdadeiro racionamento de comida pelo governo e mercadores. A economia mundial mudará, a inflação aumentará assustadoramente e a moeda desvalorizará.

“Haverá tamanha fome que as pessoas perderão a compostura e a educação. Até os laços familiares serão desconsiderados. O Anticristo terá o controle da economia mundial, sob promessa de alimentar as massas famintas. Por um pedaço de pão, as pessoas vão se submeter”, diz.

Claro que os que forem arrebatados não passarão por essa terrível tribulação, pois já estarão com o Senhor Jesus. Por isso é melhor que você dedique todo seu tempo e esforço para ser e se manter salvo, para não precisar viver nesse período terrível.

“Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.” 2 Pedro 3:10

Assista ao Estudo do Apocalipse na íntegra no Univer Vídeo.

Você também pode ler mais sobre o assunto no livro A Terra Vai Pegar Fogo.


População do Malauí, país africano, sobrevive com carne de ratos
  • Rafaella Rizzo / Foto: Getty Images 


reportar erro