Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de março de 2019 - 12:32


Pais se unem contra ensino LGBT em escola britânica

O episódio aconteceu na escola Parkfield Community, na cidade de Birminghan

Recentemente, uma escola britânica suspendeu as aulas de ensino LGBT, após mais de 80% dos alunos serem mantidos em casa. O episódio aconteceu na escola Parkfield Community. A decisão de manter os mais de 600 alunos, dos 740, fora da sala de aula partiu dos pais, na cidade de Birminghan.

A decisão foi tomada depois que eles tomaram conhecimento de que seus filhos, que ainda estão na escola primária, estariam aprendendo sobre o universo LGBT e suas variáveis. Desde então, o coordenador, Andrew Moffat, tem sido alvo de críticas dos pais mais conservadores.

Em entrevista ao canal de televisão britânico RT, um pai relatou que sua filha chegou em casa o questionando sobre sexualidade. “Minha pequena tem quatro anos. Ela chegou em casa perguntando se é certo ser um menino, em vez de menina, e se vestiu com as roupas do irmão”, pontuou.

Outro genitor, por sua vez, questionou a decisão. “Por que deve ser ensinado para crianças, em idade de escola primária sobre sexualidade? Isso está fora de controle!”, indagou.

Pais indignados 

Além de não enviarem seus filhos à escola, os pais também se reuniram na porta da instituição como forma de protesto. “A escola está promovendo a homossexualidade. Eles não devem aprender sobre isso agora, porque, podem, facilmente, ser influenciados”, destacou um dos pais, entrevistado pela televisão britânica.

Para outro pai, a decisão, sobretudo, vai muito além de religião. “Não é sobre religião, é o que eles estão fazendo. A comunidade judaica, cristã e outras comunidades têm problemas com a maneira como as coisas têm sido feitas”, enfatizou.

Após a repercussão negativa, a escola decidiu suspender as aulas de conteúdo sexual da grade curricular das crianças.

O que você acha sobre isso? Opine, deixe seu comentário em nosso site.


  • Rafaela Dias / Foto: iStock 


reportar erro