Rede aleluia

Notícias | 5 de agosto de 2019 - 14:05


O que acontece quando se lê o livro “Orixás, Caboclos e Guias”

O best-seller já possui mais de 3 milhões de exemplares vendidos e foi relançado no último dia 2 de agosto

Por décadas, o corretor Eduardo Gomes Serrão, de 43 anos, e a professora Karla Gianelline Serrão, de 40 anos, serviram aos encostos. Pensando estar agradando a Deus, faziam diversos feitiços aos espíritos, obedecendo à risca ao que era ensinado por eles.

Mesmo assim, a vida permanecia na miséria e repleta de doenças. Ele tinha epilepsia. Ela, desde a adolescência, sofria em todas as áreas de sua vida. Como resposta, ouvia que passava por um carma, isto é, estava colhendo o sofrimento que plantou em outra vida, e que só passando por isso as coisas se resolveriam. O que não aconteceu.

Também foram ensinados a nutrir preconceito contra a Universal. Os dois chegaram a fazer parte de grupos para impedir que o livro “Orixás, Caboclos e Guias” fosse publicado.

“No centro em que eu frequentava falavam que o livro falava mal da minha religião, então, participei de um abaixo-assinado para que ele não fosse publicado”, conta Eduardo.

“Eu também fazia parte de um grupo que queria processar a Universal, fazia trabalhos para que os evangélicos caíssem e as religiões afro crescessem”, acrescenta Karla.

Momento de mudança

Mesmo assim ela não estava satisfeita. Sem perspectiva de melhoras, decidiu recorrer a Deus. “Certo dia fiz uma oração diferente: me dirigi apenas a Deus, não aos espíritos que estava acostumada. Pedi que o Senhor me mostrasse um caminho. Quando terminei, liguei a tevê e estava no canal 21, passando a programação da Universal. Resolvi que conheceria o Templo de Salomão”, lembra a professora.

O marido a acompanhou, mas essa era só a primeira de diversas decisões difíceis que teriam de tomar. O processo de libertação durou cerca de um ano, pois os espíritos não queriam perdê-los. Mas a leitura do livro “Orixás, Caboclos e Guias” foi fundamental para eles. “O livro ajudou a abrir os nossos olhos e colaborou no nosso processo de libertação”, conta Karla.

E mesmo diante das ameças que recebiam dos espíritos, por meio de recados de terceiros, eles não se intimidaram, pois uma força superior estava com eles: o Espírito Santo. “Nós não morremos, como os espíritos disseram que aconteceria. Por isso, se você está nessa vida, não desista, tenha fé de largar tudo e vir. Pois, hoje, não troco os 40 anos que passei servindo aos encostos pelo que estou vivendo agora. Hoje, tenho paz dentro de mim e no meu casamento. Não há mais doenças, nem vícios, Deus apagou aquele passado de problemas, que hoje só servem como testemunho”, completa Eduardo.

Resgatada por meio do livro 

A artesã Lúcia Culanda, de 46 anos, também afirma ter sido resgatada por meio da obra. Desde a infância se envolveu com o que pensava ser espíritos de luz. Apesar disso, sua saúde se deteriorava cada vez mais.

“Meus ossos eram muito fracos, então a cada tombo tinha que engessar. Também via os espíritos, tinha amigos imaginários que me induziam a fazer coisas ruins. Na adolescência, quando os servia ativamente, tinha dores na coluna e fortes dores de cabeça”, conta.

Outros problemas surgiram com o tempo: depressão, síndrome do pânico, tentativas de suicídio. Buscando respostas nos espíritos, certo dia comprou o livro “Orixás, Caboclos e Guias: deuses ou demônios?” pensando ser uma obra da religião que pertencia.

“Porém, quando vi que o autor era o Bispo Macedo eu joguei o livro longe, pois tinha ódio dele. Mas a curiosidade foi maior que o preconceito. O livro foi um divisor de águas na minha vida: comecei a ler crendo que os encostos eram deuses e terminei tendo a certeza de não são”, relata.

No fim da obra havia o endereço de uma Universal, que Lúcia começou a frequentar. Mesmo recebendo ameaça dos espíritos, decidiu que se libertaria de todo engano e todo mal que assolava sua vida.

“Não foi fácil, mas me libertei de toda influência maligna que me acompanhava. Hoje, minha vida é completa: estou curada, casei com um homem de Deus, sou realizada em todas as áreas.  E o principal é que o Senhor está dentro de mim, pois recebi o Espírito Santo”, comemora.

Relançamento

Em 1995 era lançada a primeira edição o livro “Orixás, Caboclos e Guias: Deuses ou Demônios?”. Em todo o mundo, a obra escrita pelo Bispo Edir Macedo vendeu mais de 3 milhões de exemplares.

No último dia 2 de agosto, aconteceu seu relançamento em todos os 8.773 templos e catedrais da Igreja Universal, pelo Brasil. No total, cerca de 980 mil pessoas compareceram aos eventos realizados desde em grandes catedrais até pequenas igrejas. Até mesmo em lugares esquecidos pela sociedade, como em unidades socioeducativas.

Objetivo: salvar

Sem atacar qualquer religião ou seus praticantes, o livro ajuda o leitor a compreender como os espíritos malignos agem para enganar, passando-se por espíritos bons. A obra também aponta os caminhos para que a pessoa se liberte deles.

Este best-seller do Bispo Macedo já foi traduzido para o espanhol, inglês, russo, alemão e francês, tendo sido lançado em praticamente todos os países da América Latina e África, além de algumas nações da Europa.

A nova tiragem de “Orixás, Caboclos e Guias: Deuses ou Demônios?” é de 800 mil exemplares. Além dos templos e catedrais da Universal em todo o Brasil, o livro também pode ser adquirido na loja virtual Arcacenter.

 

 


  • Rafaella Rizzo / Fotos: Demétrio Koch - Reprodução 


reportar erro