Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 15 de julho de 2018 - 03:05


O mau comportamento no trabalho também pode prejudicar sua saúde

Saiba o que fazer para resolver suas questões profissionais e se sentir bem dentro e fora da empresa

Muitas pessoas sabem que o mau comportamento durante o expediente pode gerar consequências negativas ao trabalho. O que muitos desconhecem é que o fato de não se comportar bem enquanto estão no ambiente profissional pode também prejudicá-los fora dele, quando já estão em casa, por exemplo.

Esse fato foi comprovado recentemente por um estudo realizado pela Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, e reproduzido pelo site Sleep Review.

Pesquisadores verificaram, em um levantamento feito com 600 trabalhadores, que as pessoas que tiveram comportamento contraproducente durante o expediente, como fofocas, sabotagens, brigas, furtos e assédios, tiveram dificuldades para repousar, pegar no sono e ter bons hábitos porque ficaram refletindo quanto aos problemas que tiveram durante o dia.

O psicoterapeuta e coach profissional Arlindo Mendes Vich ressalta que, com esse estudo, é possível concluir que a saúde e o bem-estar do trabalhador estão diretamente relacionados à forma como ele se porta no trabalho. “O comportamento contraproducente é destrutivo porque, ao mesmo tempo que prejudica a empresa e as pessoas ao redor, faz com que o trabalhador passe o tempo em que está com a família remoendo o que fez no trabalho, como ter brigado ou causado intrigas, por exemplo”, explica.

Bem-estar em risco

O “clima ruim” que permanece em casa depois do expediente em razão desse mau comportamento no trabalho pode causar inúmeros problemas no bem-estar do trabalhador.

A psicóloga Bettina Sodré destaca que o relacionamento familiar pode ser prejudicado. “Se você fica pensando nas más atitudes que teve no trabalho, cônjuge, filhos e pais ficarão em segundo plano. E aí podem acontecer afastamento ou brigas também dentro do ambiente familiar”, afirma.

Além disso, enquanto estiver pensando no trabalho, a pessoa também pode não se alimentar corretamente. “Quando as pessoas estão com os pensamentos em outras coisas, costumam pular alguma refeição, beliscar besteiras ou comer com pressa, o que acaba até prejudicando o estômago”, completa a psicóloga.

Outra situação comum é a pessoa não conseguir dormir direito, pensando em como resolver o problema do trabalho, o que pode causar alterações hormonais e atrapalhar algumas funções cerebrais, como a capacidade de raciocinar direito. “Se você permanece irritado e pensando no que aconteceu no trabalho, mesmo depois do expediente, terá insônia, dores de cabeça, tensões musculares, entre outros problemas de saúde”, aponta Bettina.

Baixa produtividade

Como o profissional não consegue ter momentos de repouso ou lazer por causa dessas atitudes, ele acaba também sendo prejudicado no dia seguinte, quando retorna ao trabalho. “Se o trabalhador não tiver seu bem-estar garantido após o expediente, vai ficar menos engajado no trabalho e, com isso, será menos produtivo. Isso vira um círculo vicioso”, pontua o psicoterapeuta Arlindo Vich.

Então, é necessário combater esse tipo de comportamento para não ver suas atividades prejudicadas. Uma dica é evitar as distrações que afetam o andamento do trabalho. Outra é aproveitar as pausas que costuma fazer para ajudar a aumentar sua atenção, seu foco e sua energia quando voltar ao ofício – e não para reforçar essas más atitudes.

Outro fator importante para não ser levado a praticar alguma atitude contraproducente é manter o foco em uma atividade por vez. “Se você precisa fazer duas coisas ao mesmo tempo, acaba desviando a sua atenção para uma terceira que não tem nada a ver com o seu trabalho. Então, é preciso manter o foco e a determinação”, orienta Vich.

Além disso, é necessário identificar os pontos que reforçam sua insatisfação, como a falta de feedback do seu líder ou ter sua concentração prejudicada, e resolvê-los. “É preciso verificar quais dessas situações acabam gerando atritos, ausência de diálogo e podem reforçar o mau comportamento do trabalhador”, justifica o profissional.

6 atitudes saudáveis para adotar fora do expediente

Congresso para o Sucesso

Uma reunião que inspira
novas ideias e traz motivação para superar desafios financeiros. Todas as
segundas-feiras no Templo de Salomão em uma Universal mais próxima de
você. Confira horários e endereços
aqui


  • Por Janaina Medeiros / Foto: Fotolia / Arte: Eder Santos 


reportar erro