Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 20 de agosto de 2019 - 00:05


O fermento

Leia a mensagem de hoje do livro “O Pão Nosso para 365 dias”

“E Jesus lhes disse: Vede e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus.” (Mateus 16.6)

Jesus disse: “Cuidado com o fermento dos fariseus”. Numa linguagem atual, significa: Cuidado com os “irmaus”! Eles sempre surgem com uma conversinha, aparentemente cristã, para pegar desprevenidos os sinceros e novatos na fé, mas em seguida destilam seu veneno farisaico tentando semear a dúvida ou maus olhos.

São frios ou mornos. Não querem sacrificar pela própria salvação. Mas estão sempre prontos para tentar neutralizar o calor da fé alheia. Seu objetivo é transformar outros em hipócritas à sua imagem e semelhança. E quando os sinceros abrem a boca, os irmaus os chamam de ingênuos e dizem que eles são assim porque ainda são imaturos.

Logo você pode notar que seus assuntos são diferentes e nunca estimulam a fé. Ao contrário, promovem as dúvidas. Dúvidas no interior somadas às dúvidas do exterior, vinda dos mensageiros do inferno. Eles lançam malícias nas doutrinas aprendidas e que surtiram efeito no passado. Usam versículos bíblicos de forma equivocada para fortalecer as dúvidas, enfim, fazem o que o diabo fez com Jesus no deserto.

Tentam, tentam e tentam com palavras sensíveis, cheias de emoção e dúvidas. Muito cuidado ao lidar com os irmaus. São mais perigosos do que os incrédulos assumidos. Como sepulcros caiados, eles esperam com paciência para tragar os sinceros e puros na fé. A consciência deles já está cauterizada, não estão abertos a aprender. Mantenha distância; vigie; siga a sua fé e não a cabeça alheia. Todo o cuidado é pouco.

(*) Fonte: livro O Pão Nosso para 365 dias, do Bispo Edir Macedo


  • Redação (*) / Foto: Thinkstock 


reportar erro