Rede aleluia
O Altar não faz acepção de pessoas
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 25 de outubro de 2020 - 00:05


O Altar não faz acepção de pessoas

A Universal assiste espiritualmente policiais, detentos e ex-presidiários. Em Houston (EUA), eles subiram ao Altar juntos pela primeira vez

O Altar não faz acepção de pessoas

Você consegue imaginar esta cena: policiais e ex-presidiários lado a lado, dividindo o mesmo espaço e em paz? Foi exatamente isso que aconteceu no dia 11 de outubro.

O chefe de Polícia da cidade de Houston, Art Acevedo, visitou a Igreja Universal em Houston, no Texas, nos Estados Unidos. Acompanhado de outros dois oficias, ele recebeu a bênção no Altar.

Acevedo começou sua carreira na polícia em 1986, em Los Angeles, na Califórnia, na Polícia Rodoviária, e em 2005 foi promovido a chefe de Polícia. Ele já trabalhou como chefe do Departamento de Polícia de Austin, no Texas, em 2007, e, em novembro de 2016, recebeu a oportunidade ser o primeiro americano de descendência hispana a se tornar chefe do Departamento de Polícia de Houston.

Pela primeira vez o Altar reuniu a polícia e ex-presidiários, em harmonia, no mesmo local. Segundo relatos, a polícia sempre foi vista como inimiga por eles. Os ex-presidiários nunca conseguiram enxergar o trabalho feito pelos policiais como uma forma de cumprir a lei e discipliná-los quanto aos erros que cometeram contra a sociedade. Mas, por meio da evangelização, hoje eles reconhecem sua autoridade e há respeito mútuo.

Somente o Altar tem o poder de reunir a polícia e os ex-criminosos para glorificar a Deus. Isso mostra que para Deus não há acepção de pessoas. A Igreja Universal assiste espiritualmente tanto os policiais quanto os presidiários. Seja quem for que passe pelas portas da Igreja, vai receber a atenção que merece.

O Departamento de Polícia de Houston reconhece o valor do trabalho realizado pela Universal nos presídios.

Prova disso é que a Universal, em parceria com o atual governo norte-americano, tem feito muito pela comunidade e por isso foi considerada essencial.

A Igreja não teve seus templos fechados nos Estados Unidos durante a pandemia.


O Altar não faz acepção de pessoas
  • Redação / Foto: Cedida 


reportar erro