Rede aleluia
Núcleo no Lar: ribeirinhos não ficam de fora
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
GaranhunsRecife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 8 de Junho de 2022 - 18:45


Núcleo no Lar: ribeirinhos não ficam de fora

Moradores de comunidades ribeirinhas do Pará recebem visitas de voluntários da EVG

Núcleo no Lar: ribeirinhos não ficam de fora

Boa parte da população do Norte do Brasil é formada por ribeirinhos, ou seja, pessoas que moram próximas de rios ou em casas suspensas sobre eles. E quando é assunto é o ganho de almas eles não podem ficar de fora, mesmo que existam dificuldades para chegar às comunidades.

Como acontece o núcleo no lar:

  • Assim, para levar a Palavra de Deus às comunidades ribeirinhas os voluntários da Evangelização (EVG) do Pará enfrentam percurso por terra e água.
  • “Semanalmente, seguimos de carro por uma estrada de terra em direção ao porto, onde o barco nos espera para irmos nas ilhas realizar o núcleo nos lares ribeirinhos. O percurso de barco dura em média 30 a 40 minutos”, explica o Pastor Edson Arantes, responsável pelo trabalho.
  • Durante o núcleo, as famílias recebem orações, uma palavra de fé à luz da Bíblia e convites para participar de reuniões na igreja.

Quem participou disse:

  • Diversas pessoas obtiveram respostas e até milagres após a visita dos voluntários. Uma delas foi a dona de casa Edivana Ribeiro, de 32 anos.
  • “Meu filho nasceu há um mês e precisou ser hospitalizado às pressas. Os evangelistas estiveram no meu lar, realizaram orações pela minha família e determinaram a cura do meu filho. Em pouco tempo recebemos alta e ele está saudável. Agradeço a Deus por esse trabalho, por ter pessoas dispostas e que não medem esforços para chegar às ilhas ribeirinhas”, comentou.

Veja mais:

Para ver mais ações, acompanhe os perfis da EVG no Facebook e Instagram.

Além disso, você também pode ir à Universal mais próxima da sua casa e conferir pessoalmente o que o grupo realiza na sua região.


Núcleo no Lar: ribeirinhos não ficam de fora
  • Rafaella Rizzo / Fotos: Cedidas 


reportar erro