Rede aleluia
Narguilé: o perigo por trás da moda
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 12 de Setembro de 2021 - 00:05


Narguilé: o perigo por trás da moda

Uma hora de consumo do produto pode equivaler a fumar 200 cigarros de uma só vez

Narguilé: o perigo por trás da moda

O narguilé é um tipo de cachimbo de origens árabe e indiana, usado para fumar tabaco e outras substâncias. Ele é semelhante a uma garrafa, com mangueiras e piteiras (a parte que vai à boca do usuário) e é cada vez mais utilizado por jovens brasileiros. Apesar de ter se tornado moda, o narguilé é perigoso e pode até levar à morte.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas uma hora de uso do narguilé equivale a fumar de 100 a 200 cigarros, conforme a frequência de tragadas. Isso provoca doenças como câncer de pulmão, males cardíacos e respiratórios e, claro, causa dependência.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 2,5 milhões de pessoas, sobretudo jovens de 13 a 29 anos, usam narguilé. Mas o próprio IBGE afirma que esse número pode ser bem maior, inclusive tendo aumentado durante a pandemia de Covid-19. Em 2020, só na cidade de São Paulo, mais de 1,6 mil tabacarias foram abertas e, de abril a junho de 2021, mais da metade das festas fechadas pela polícia paulistana foram em lojas voltadas ao uso desse produto.

Vício atraente
Como muitos outros hábitos prejudiciais, o narguilé atrai os jovens pelo aspecto de socialização. Para “curtir com os amigos”, além do tabaco (com substâncias aromatizantes), muitos consomem, pelo narguilé, maconha ou outras substâncias alucinógenas. E ainda substituem a água (necessária para seu funcionamento) por bebidas alcoólicas, como vodka, cachaça ou uísque. A queima das substâncias é feita com carvão ou resistências elétricas, o que também fere o organismo.

O Ministério da Saúde alerta que, além da viciante nicotina e do dióxido de carbono, o narguilé apresenta mais de 4,7 mil ingredientes tóxicos, inclusive metais pesados. Ademais, pelo fato dele poder ser usado por várias pessoas ao mesmo tempo, promove a propagação de vírus e bactérias, como os causadores de Covid-19, herpes e hepatite C.

Os perigos não param por aí. O alto nível de monóxido de carbono inalado causa diminuição da oxigenação do cérebro, deixando a pessoa com fala arrastada, movimentos lentos, tontura, tremor, perda de autocontrole, euforia, diminuição da visão e incapacidade de distinguir cores. Esses efeitos podem durar até seis horas. De acordo com o Instituto de Tecnologia de Israel, por conta desses sintomas, usuários de narguilé têm 40% mais chances de causarem um acidente de trânsito após usá-lo.

Morte em poucos minutos
Segundo o pneumologista Ronaldo de Souza, de Umuarama (PR), o narguilé “contém tabaco e, por sua vez, nicotina, que causa dependência e produz os mesmos danos que o cigarro, mas em proporções ainda maiores”. A mistura tabaco, maconha e bebida alcoólica piora ainda mais as consequências, segundo o médico: “os usuários estão inalando três drogas que, associadas, podem provocar uma parada cardiorrespiratória e levar à morte em poucos minutos”. Ele ressalta ainda que o tabaco pode causar 14 tipos de câncer. Ou seja, a socialização que o fumo sugere pode ser uma camuflagem de um caminho para a morte – e, até ela, muito sofrimento, pelas centenas de doenças causadas pelo narguilé.

Para auxiliar as vítimas do vício, inclusive em narguilé, a Universal realiza o Tratamento Para a Cura dos Vícios. Se você sofre com o problema ou conhece alguém que sofre, visite a Universal mais próxima e saiba como participar.


Narguilé: o perigo por trás da moda
  • Marcelo Rangel / Foto: Getty Images 


reportar erro