Rede aleluia
“Não tenho dinheiro para me casar. E agora?”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 13 de setembro de 2020 - 00:05


“Não tenho dinheiro para me casar. E agora?”

“Não tenho dinheiro para me casar. E agora?”

Durante o programa Escola do Amor Responde, um aluno disse que tem dificuldade de juntar dinheiro para poder se casar. Ele pediu ajuda aos professores Renato e Cristiane Cardoso. Eles deram orientações importantes quanto a esse pensamento dele.

ALUNO- Não tenho dinheiro para me casar. Tenho dificuldade de juntá-lo e preciso de uma orientação para que eu possa vencer essa situação.

RENATO – Antes de falar da sua dificuldade de juntar dinheiro, quero falar de um tema mais amplo, que muitas pessoas, noivos e namorados, enfrentam: que precisam ter rios de dinheiro para se casar. Isso é um mito, uma mentira. É algo comercial, cultural, que se instalou e foi promovido pela indústria do dia do casamento. É divulgado que as pessoas precisam ter mil e uma coisas antes de se casarem, para que o dia do casamento delas seja como um conto de fadas. Se você olhar uma lista de preparativos de casamentos de 50 anos atrás verá que ela tinha de dez a 20 itens no máximo: uma reunião familiar, uma bênção na igreja, um vestido, um terno (muitas vezes usado, emprestado ou alugado), alguns comes e bebes, um refrigerante e um bolo, por exemplo.

CRISTIANE – No passado, o dia do casamento era um momento especial para as pessoas que se casavam e não para os outros. Elas pensavam nelas mesmas. Elas pensavam na troca de votos diante de Deus. Hoje não é assim. Elas acham que devem se preocupar com o casamento para mostrar às outras pessoas e, por isso, virou esse comércio todo. O que vem depois disso? Nada. No dia seguinte tem as contas do cartão de crédito que a pessoa usou para fazer a festa e que pagará por muito tempo e só a inveja e a admiração das pessoas que foram ao casamento.

RENATO – Além disso, a maioria pensa que precisa ter casa própria, um carro, terminar a faculdade, viajar, fazer uma lua de mel, aprender inglês, fazer intercâmbio, tudo e mais um pouco. As pessoas acham que têm muita coisa para fazer e resolver antes do casamento e nunca se casam.

CRISTIANE – Elas não entendem que o casamento é a construção de uma vida a dois. Por isso, dão tanto valor a essas coisas. Então, as pessoas se casam para quê? Só para terem uma pessoa ao seu lado? Não vão construir nada se já tiverem tudo no lugar. Elas querem se casar só para falar que têm marido ou esposa?

RENATO – Hoje é facilmente possível encontrar uma lista de preparativos de um casamento com tudo a ser feito antes de se casar. Se a mulher tem essa expectativa, o homem, dependendo da sua situação financeira, nunca vai conseguir supri-la. Dessa forma, vai sempre adiar o casamento. Às vezes, a mulher é mais simples e só quer se casar, mas o namorado tem a ideia de que tem que impressioná-la a qualquer custo. Então, ele acaba usando isso como desculpa para não se casar. Então, respondendo à sua pergunta, aluno, você não precisa de tanto dinheiro assim como imagina. Você pode dispensar o dinheiro de uma festança, por exemplo, para usá-lo na construção de uma vida a dois.


“Não tenho dinheiro para me casar. E agora?”
  • Kaline Tascin / Foto: Getty Images 


reportar erro