Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de fevereiro de 2020 - 10:05


“Morei de favor na casa do meu ex-marido”

Empresária não tinha o que comer até que se firmou na obediência e enxergou o caminho para o sucesso

Jussara Borges, empresária de São Paulo, capital, conheceu a Universal há dez anos. Ela frequentava a Igreja, mas não priorizava o que era certo. “Em cima do muro” na Fé, ela vivia uma derrota após a outra. Até que se viu numa situação humilhante. “Minha empresa no ramo de estética só rendia o suficiente para pagar os funcionários e eu não tinha nem salário. Quem me dava comida era minha mãe, aposentada. Perdi meu carro por falta de pagamento e não conseguia arcar com o aluguel da casa onde morava. Morei de favor na casa do meu ex-marido e de sua esposa.”

Revoltada com a triste realidade, Jussara resolveu se firmar espiritualmente. “Não aguentava mais aquela situação. Comecei a frequentar a Nação dos 318 e o Congresso para o Sucesso. A cada reunião minha mente se abria mais sobre a Fé. Não pedi a Deus um emprego, uma nova empresa ou dinheiro. Eu pedi uma ideia.”

Em menos de um mês, ela foi atendida: “me veio a ideia de fazer um equipamento simples, pequeno, que qualquer pessoa pudesse usar para pintar as unhas no estilo francesinha. Eu não sabia nada. Tinha a ideia, mas precisava viabilizar a produção. Busquei informação e em quatro meses consegui fabricar, patentear e comercializar a peça. Ela era inédita, inventada a partir de uma ideia divina.”

A empresa prosperou muito. “Já estamos com o produto em todo o Brasil, nas costas leste e oeste dos Estados Unidos e começaremos a vender na Itália. No campo pessoal, acabei de adquirir um ótimo apartamento. Minha vida mudou completamente quando aprendi que temos que realmente honrar o pacto com Deus e com Sua Palavra”, finaliza.


  • Marcelo Rangel / Arquivo pessoal 


reportar erro