Rede aleluia
Michele sofreu muito até encontrar um alento
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 27 de agosto de 2020 - 20:58


Michele sofreu muito até encontrar um alento

Porém, todo o passado de tortura e abusos ficou para trás, quando ela recebeu o Espírito Santo. Conheça a sua história abaixo

Michele sofreu muito até encontrar um alento

Michele Aparecida Gomes da Silva, hoje, lembra do seu passado triste, não para ficar se lamentando, mas para mostrar às pessoas o quanto Deus pode mudar a vida de alguém.

Atualmente, aos 28 anos, ela afirma que o seu maior amor é o Espírito Santo, amor este que ela – garante – buscou durante anos no seio familiar.

Assim que a jovem nasceu, enfrentou a primeira rejeição, pois seu pai desejava um menino para a família, relembra. Conforme foi crescendo, ela passou a sofrer com agressões físicas e psicológicas e chegou a desenvolver um quadro de depressão, que foi diagnosticado clinicamente.

Aos oito anos, ela sofreu o primeiro abuso por parte de um familiar. Três anos mais tarde, outro parente fez o mesmo. Desorientada  e se sentindo vazia, Michele chegou a pensar no suicídio. Outra ideia frequente, que passava por sua cabeça, era se tornar uma garota de programa.

“Eu me questionava por qual razão eu havia nascido; tinha um complexo tão grande, que não me olhava no espelho. Por diversas vezes, pensei no suicídio, mas não consegui concluir a ideia”, disse.

Um dia, caminhando pela rua, Michele viu as portas de uma Universal aberta e resolveu entrar.

Assista ao vídeo abaixo e saiba o que aconteceu com Michele a partir desse dia:

Participe das reuniões

As reuniões já estão liberadas com a capacidade reduzida, em algumas localidades. Além disso, você deve seguir as orientações dadas pelo Ministério da Saúde. Clique aqui e encontre a Universal mais próxima de sua casa.


Michele sofreu muito até encontrar um alento
  • Sabrina Marques/ Foto: Reprodução 


reportar erro