Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de agosto de 2018 - 00:05


Classificação dos dons do Espírito Santo

Ferramenta essencial para agir conforme a vontade de Deus

Para que possamos entender melhor a aplicação dos dons do Espírito Santo na Obra de Deus, como ferramentas essenciais, precisamos classificá-los da seguinte maneira:
a) Dons de Revelação
• Palavra de conhecimento
• Palavra de sabedoria
• Discernimento de espíritos
b) Dons de Poder
• Dons de curar
• Operações de milagres
• Fé
c) Dons de Inspiração
• Variedade de línguas
• Capacidade de interpretar
• Profecia
Numa certa ocasião, o Senhor Jesus exclamou:

“…Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.” Mateus 11.25,26

É claro que o conhecimento neste mundo vem se acelerando de forma fantástica, muito embora os inteligentes e versados nunca sejam plenamente satisfeitos, mas, ainda assim, o sucesso deles tem sido notório, tanto para o bem, quanto para o mal da humanidade. Esta inteligência e sabedoria certamente são oriundas da desobediência do homem para com Deus no Jardim do Éden, quando o Senhor determinou:

“… De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Gênesis 2.16,17

Deus não tem culpa se a humanidade vem se autodestruindo, pelo seu próprio conhecimento. Todavia, há um conhecimento que está acima de todo existente neste mundo: o conhecimento da vontade de Deus para o homem; e isto só é possível para aqueles que permitem ser usados pelo Espírito Santo. Então, este dom é concedido a cada um, de acordo com a necessidade. Tanto pode ser usado para revelar aspectos bons, quanto para desmascarar os inimigos de Deus.

Veja que este dom, bem como qualquer outro, jamais será uma ferramenta para uso e proveito próprio, mas sempre visando um fim proveitoso. Como exemplo, temos o próprio Senhor Jesus, que pela palavra de conhecimento sabia que Natanael estava debaixo da figueira e era um homem de índole boa e sincero diante de Deus.

Ora, quem havia dado ao Senhor este conhecimento, senão o próprio Espírito Santo? Podemos verificar que esta revelação não foi usada para que o Senhor provasse a Natanael a Sua divindade, mas para que este viesse a tornar-se mais um cidadão dos Céus.

Em outra ocasião, o apóstolo Pedro também foi usado com a mesma palavra do conhecimento para revelar a hipocrisia e a mentira de Ananias e Safira, com o propósito de evitar que a Igreja primitiva viesse a desenvolver os mesmos erros do judaísmo, quando disse:

“Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus.” Atos 5.3,4

Participe do Jejum de Daniel, para que o Espírito Santo venha repousar sobre a sua vida e fazer de você a Sua morada.
De 6 de agosto a 26 de agosto.
(*) Texto retirado do livro “O Espírito Santo”, do bispo Edir Macedo.
 


  • Bispo Edir Macedo */ Foto: Thinkstock 


reportar erro