Rede aleluia
Indústria do entretenimento segue atacando o casamento
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 22 de Junho de 2021 - 17:21


Indústria do entretenimento segue atacando o casamento

Famoso reality show dá dois exemplos do que não é o matrimônio

Indústria do entretenimento segue atacando o casamento

O reality show “Keeping Up With The Kardashians” deu, na última semana, dois exemplos de como a sociedade vê o casamento atualmente. Primeiro, em uma edição especial de reunião, a empresária Kylie Jenner (23) afirmou que está namorando o rapper Travis Scott (29), mas não pretende se casar em um futuro próximo.

“Eu não estou pensando em casamento agora, mas gostaria de me casar algum dia”, relatou ela.

Para o cantor, porém, esse casamento já existe. Recentemente ele postou uma foto no Instagram como a legenda “eu te amo, esposinha”.

Um amigo do casal afirmou que eles são “praticamente casados”, mas “eles nunca pressionam o relacionamento. O foco sempre foi ser os melhores co-pais. Eles ainda mantêm casas separadas em Los Angeles porque é isso que funciona para eles”.

Jenner e Scott já têm um filho juntos. Os dois se conheceram em 2017 e, com apenas um mês de relacionamento, ficaram sabendo da vinda do bebê.

Após vários boatos sobre traições, o casal afirmou que estava em um “relacionamento aberto”. Em 2019, terminaram. Reataram cinco meses depois, mas o novo namoro durou apenas seis meses. No último dia 15, assumiram publicamente o novo namoro.

Outra imagem deturpada de casamento partiu de uma amiga da família Kardashian, a atriz La La Anthony (41). Ela e o jogador de basquete Carmelo Anthony (37) anunciaram o divórcio após onze anos de casamento (16 de relacionamento).

Ao longo de todo esse tempo, os dois passaram por muitos boatos de traições. Em 2017, chegaram a se separar após uma infidelidade de Anthony. Reataram meses depois, mas logo o jogador foi fotografado viajando de barco, sozinho, com uma modelo solteira.

Entre muitos casos noticiados de traição, o casamento dos dois se arrastou até o “término amigável”, conforme anunciaram. Em uma entrevista recente, a atriz declarou:

“Casamento é difícil. Falo isso para todo mundo. E é um dia de cada vez. E é isso que estamos fazendo. Só estou tentando viver um dia de cada vez.”

Matrimônio sob ataques

No livro “Casamento Blindado: O Seu Casamento à Prova de Divórcio”, o escritor Renato Cardoso explica que “o casamento como instituição está falindo sob pesados ataques de várias forças na sociedade”.

Uma das forças que mais ataca o casamento é justamente a indústria do entretenimento. Filmes, novelas, livros e reality shows mostram o casamento como algo ultrapassado, antimoderno, fadado ao fracasso.

Jenner e Scott, por exemplo, apontam o matrimônio como dispensável, mesmo “mantendo” um relacionamento tão longo e tendo um bebê.

Já La La e Carmelo Anthony só se casaram após cinco anos de noivado, mesmo morando juntos antes disso. Depois, mantiveram vidas de solteiros amplamente transmitidas na televisão e republicadas por toda a indústria do entretenimento. Agora se divorciam como “amigos” e colocam a culpa do fracasso no casamento em si.

“A mídia em geral (filmes, novelas, internet, livros etc.), a cultura, a política, as leis, as celebridades, o ensino nas escolas e universidades — enfim, todos os maiores poderes de influência na sociedade — estão se tornando (ou já são) predominantemente anticasamento”, afirma Renato Cardoso.

É por sofrer influências como essas que cada vez menos pessoas se casam e cada vez mais matrimônios terminam.

As pessoas simplesmente não sabem o que é um casamento.

A visão divina do casamento

Na matemática de Deus, 1+1=1 — ou seja, o homem e a mulher unidos pelo casamento se tornam uma só pessoa. Há uma fusão de dois indivíduos, que se transformam em uma pessoa diferente”, explica Renato Cardoso.

Segundo ele, “o casamento foi idealizado para que houvesse uma fusão e o surgimento do terceiro elemento, com a intenção de nunca ser revogado. Muitos querem se casar, mas permanecendo a mesma pessoa que eram quando solteiros. Resistem à fusão e nunca se tornam uma só carne. Os dois continuam como indivíduos distintos e não maleáveis dentro do relacionamento. Nunca vai funcionar assim”.

Um matrimônio só é bem-sucedido quando os dois entendem que essa fusão é fundamental. Quase toda a mídia influencia as pessoas a serem cada vez mais individualistas. E, dessa maneira, a entidade Casamento segue sob ataque.

Para entender mais sobre o que é um casamento e construir um matrimônio sólido, participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal. Clique aqui e saiba quando e onde participar.


Indústria do entretenimento segue atacando o casamento
  • Andre Batista / Foto: Reprodução Instagram @kyliejenner 


reportar erro