Rede aleluia
“Eu tentei vencer a depressão na força do braço”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 21 de Outubro de 2021 - 20:24


“Eu tentei vencer a depressão na força do braço”

Conheça a história do biomédico Geyzon Gonçalves

“Eu tentei vencer a depressão na força do braço”

Ele escolheu ser um profissional da saúde e a área que elegeu sempre o fascinou. Por isso, conta, se tornou um aluno aplicado, mas o que lhe traria satisfação para a vida, infelizmente, acabou por sobrecarregá-lo emocionalmente. Estamos falando do biomédico Geyzon Gonçalves. “Eu me cobrava muito e, com o passar do tempo, fui me sobrecarregando ao ponto de me deparar com a depressão”, enfatiza.

Porém, ele não deixava transparecer seu verdadeiro estado emocional. “Enquanto eu estava com os meus amigos, era uma pessoa feliz, animada. Mas quando chegava em casa e colocava a cabeça no travesseiro, me sentia triste. Eu tentei vencer a depressão na força do braço”, confessa.

Nem mesmo o que tanto almejava conseguiu preencher o vazio que sentia, e por isso, os pensamentos suicidas passaram a ser rotineiros.

“Um dia, estava dirigindo e [ao mesmo tempo] pensando em como tirar a minha vida, foi quando liguei o rádio e ouvi pela primeira vez a voz do Bispo Macedo; as palavras ditas por ele mexeram comigo. Resolvi que iria até a igreja provar da fé que ele falava”, disse.

Assim, em uma noite de sexta-feira, Geyzon chegou à Universal, conta. “Sentei no primeiro banco da igreja, o pastor me recebeu muito bem e veio conversar comigo; eu chorava tanto que tinha dificuldade de me expressar, foi então que ele pediu para fazer uma oração e quando ele colocou as mãos sobre a minha cabeça, foi sobrenatural”, destaca.

A partir de então, o biomédico passou a frequentar as reuniões, assiduamente, e além da libertação, ele recebeu o Espírito Santo, ressalta.

Acompanhe abaixo, na íntegra, o depoimento dele:

Participe da Sessão do Descarrego

No Templo de Salomão, localizado na Avenida Celso Garcia, 605, Brás – as reuniões acontecem às 7h, 10h, 12h, 15h e às 20h. Mas, você também pode participar em uma Universal mais próxima de sua casa. Clique aqui e veja o endereço.


“Eu tentei vencer a depressão na força do braço”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro