Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 1 de junho de 2020 - 13:26


Entrelinhas: não descuide da saúde mental durante a pandemia

Programa deste domingo último (31) abordou sobre a maneira de passar por esse período de uma forma mais equilibrada

A pandemia do novo coronavírus tem afetado a saúde das pessoas em vários sentidos. De acordo com o Ministério Público (MP) de São Paulo, a violência contra a mulher cresceu nessa fase de isolamento. Um levantamento feito pelo próprio órgão verificou que apenas no mês de março o aumento foi em 30%.

E não apenas isso, o consumo de cerveja e de cigarro também aumentou consideravelmente durante a quarentena, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a recomendar que os países limitem a venda de bebida alcoólica. No Brasil, exceto pelo fechamento dos bares nessa fase, não há política de restrição de vendas.

Outro dado alarmante aponta que o número de pessoas desempregadas aumentou em todas as regiões do País durante o primeiro trimestre deste ano. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse período contou com mais de 1,2 milhão de pessoas a mais na fila do desemprego.

Saúde mental afetada

A situação do mundo em decorrência da pandemia tem desestabilizados milhares de pessoas. Por isso, durante o programa Entrelinhas deste domingo, dia 31 de maio, o Bispo Renato Cardoso, ao lado do Bispo Adilson Silva, falou sobre o impacto e os efeitos colaterais da quarentena na vida das pessoas e, sobretudo, qual a maneira de passar por tudo isso de uma forma mais equilibrada.

“Você tem que vigiar o que você consome, você tem o controle remoto em suas mãos e não pode perder de vista as outras coisas que estão acontecendo ao redor, ainda que ninguém esteja falando. A Palavra de Deus nos ensina a ser prudentes”, salientou o Bispo Renato.

Parecer médico

O programa contou com a participação online da médica psiquiatra Renata Angelini, diretamente da Flórida, nos Estados Unidos. Segundo ela, o que alimentamos na mente reflete em nossas emoções. Inclusive, a médica ressaltou o fato dos noticiários falarem sobre o número de mortes e infectados, no entanto, não falar com tanta abrangência dos recuperados.

Na oportunidade, a especialista contou de que forma a fé a ajudou na época em que os pensamentos de suicídio a atormentavam e como conseguiu a resolução para sua depressão sem o uso de medicação. “Deus é a notícia positiva, Ele planta semente de paz, eliminando as toxinas negativas”, salientou Renata.

Território fértil  

Além dela, o médico psiquiatra Davi Vidigal, de Santa Catarina, região sul do País, também fez suas considerações. “A nossa mente é um território muito fértil e tudo o que se planta, nasce. Poucas pessoas aproveitam seu tempo para buscar um ofício novo, buscar paz interior e se enquadrar no mercado de trabalho”, salientou ele.

Assista ao vídeo abaixo ao programa Entrelinhas na íntegra e confira de que forma os impactos do novo coronavírus podem ser minimizados:

 


  • Redação / Foto: Reprodução 


reportar erro