Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 11 de março de 2019 - 12:11


Entrelinhas: a verdadeira força feminina

Veja como foi o programa, transmitido no último domingo, 10 de março, pelo Univer Vídeo

O programa Entrelinhas, transmitido no último domingo (10), reuniu cinco mulheres fortes para falar sobre o poder da mulher. Cristiane Cardoso, Viviane Freitas, Eliana Oliveira, Elizabeth Marques e Nanda Bezerra fizeram um programa especial pelo Dia Internacional das Mulheres.

Já no início do programa, foi destacado o motivo pelo qual Deus criou a mulher. Em hebraico, idioma no qual o livro de Gênesis foi escrito, o termo que define a mulher é “ezer-kenegdo”. Essas palavras, porém, não têm tradução exata na língua portuguesa.

Assim, o Entrelinhas explicou toda a importância dada à mulher nessa descrição:

“Ezer” significa prestar auxílio, socorrer, salvar. Inclusive, em diversas passagens essa palavra é utilizada quando o próprio Deus está salvando a humanidade.

Já “kenegdo” faz referência a alguém forte, que estará ao lado na batalha. Não um ser inferior, mas uma guerreira pronta para a batalha.

A mulher é, portanto, alguém capaz de ver aquilo que o homem não enxerga, de alertar e ajudar o homem a fazer o que ele não poderia fazer sozinho.

Mulher: a força que o homem não tem

A escritora Cristiane Cardoso, autora do livro “A Mulher V – Moderna à Moda Antiga”, ressaltou a passagem bíblica que mostra Deus fazendo a mulher da costela de Adão, não da terra, como havia feito o homem.

Deus fez essa escolha para mostrar que homem e mulher formam uma só carne, uma só pessoa:

“Quem não conhece o termo bíblico original e seu significado acredita que a mulher é auxiliar. E isso faz parecer ser alguém inferior. Faz achar que quem manda, quem se destaca é o homem.”

Mas isso não é verdade. A natureza diferente da mulher existe não para que haja atrito, mas para que haja complemento.

“A mulher veio para somar com a força oposta, veio para mostrar o que tinha de diferente e Adão não tinha”, destacou Eliana.

Para que essa força seja demonstrada, a mulher não pode vestir a máscara de emotiva. Ao contrário, deve usar a razão.

“A mulher que Deus criou não é uma mulher emotiva”, afirmou Elizabeth. “A mulher que Deus criou é forte, ela é racional. Ela usa a racionalidade dela e toma atitudes guiadas pela fé, fé inteligente. Ela pensa antes de agir”.

Para saber mais sobre como utilizar esse poder que toda mulher tem,clique aqui e assista à íntegra do Programa Entrelinhas no Univer Vídeo.


  • Andre Batista / Foto: Reprodução 


reportar erro