Rede aleluia
Participe do Domingo da Gratidão
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 19 de Janeiro de 2021 - 17:13


Participe do Domingo da Gratidão

Há uma relação entre gratidão e paz. Mesmo que os problemas estejam acontecendo. Entenda

Participe do Domingo da Gratidão

A ingratidão pode ser um grande atributo da humanidade. O problema é que este sentimento gera conflitos interiores. Por exemplo: a ansiedade, a infelicidade e a agressividade. Pois, a pessoa não consegue reconhecer (seja muito ou pouco) o que tem recebido de Deus. Ela não é capaz de apreciar as coisas que possui. Além disso, este comportamento cria um ciclo vicioso: ainda que a pessoa conquiste o mundo, ela quer sempre mais.

“A felicidade não está na quantidade de coisas que você possui, mas em apreciar aquilo que você já tem. As pessoas ficam ansiosas por aquilo que elas não têm. E por isso a ingratidão está associada à ansiedade. Porque a pessoa ingrata despreza o que tem e supervaloriza o que não tem”, explicou o Bispo Renato Cardoso, durante a programação “Inteligência e fé“, do dia 19 de janeiro.

Só para ilustrar, o Bispo Renato relembrou sobre as pessoas que desprezam o próprio casamento. Elas não conseguem enxergar as qualidades do cônjuge. “Não olham o que o outro tem de virtude. Mas, compara a pessoa com fulano, beltrano ou consigo mesmas. E fica exaltando os defeitos”, exemplificou.

Igualmente, a ingratidão pode atrapalhar no trabalho, quando a pessoa não reconhece o que há de bom no emprego. Não importa o dia, as ferramentas disponíveis, tudo é motivo para reclamação. O Bispo ainda apontou que, para piorar, este comportamento pessimista é contagiante.

Sejamos agradecidos

É por isso que o apóstolo Paulo enfatizou: “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.” Colossenses 3:15

“Ou seja, há uma relação entre gratidão e paz. Mesmo que os problemas estejam acontecendo, se a pessoa souber apreciar o lado bom disso, até os problemas trarão para ela algum proveito”, aconselhou o Bispo.

Obviamente, ninguém quer passar por problemas. Mas se os obstáculos surgem, precisamos nos tornar pessoas melhores com eles.

“Se você desenvolver o hábito da gratidão, você vai de forma imediata vencer a ansiedade, a preocupação e a infelicidade”, concluiu.

Assim, para se tornar uma pessoa grata, você pode começar apreciando o que já tem. Valorize, sobretudo, as coisas mais simples do dia a dia. Anote estas observações em uma folha ao longo do dia. Coloque no papel tudo aquilo pelo o que você pode agradecer a Deus.

Domingo da Gratidão

Compareça neste domingo (24) a um encontro no Templo de Salomão, às 7h, 9h30 ou 18h, ou em uma Universal mais próxima de você, para valorizar a Deus e tudo o que Ele tem feito em sua vida.

Assista ao vídeo abaixo e saiba mais:


Participe do Domingo da Gratidão
  • Da Redação / Foto: Getty Images 


reportar erro