Rede aleluia
‘Dia do Órfão’ leva conforto e esperança a crianças e adolescentes sem pais ou família 
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 24 de Setembro de 2021 - 16:10


‘Dia do Órfão’ leva conforto e esperança a crianças e adolescentes sem pais ou família 

Em média, 8 crianças são abandonadas por dia no Brasil; pandemia deixou 130 mil menores órfãos 

‘Dia do Órfão’ leva conforto e esperança a crianças e adolescentes sem pais ou família 

Neste domingo (26), o programa social Universal Socioeducativo (USE) promoverá o “Dia do Órfão”, uma ação nacional com diversas atividades voltadas a crianças e adolescentes moradores em abrigos, mulheres protegidas em casas de acolhimento e internos e ex-internos de unidades socioeducativas, alcançando cerca de 8,2 mil pessoas. O evento será realizado a partir das 14h, em 435 cidades espalhadas pelos 26 estados e o Distrito Federal.

O objetivo da campanha é dedicar um dia a quem vive em situação de abandono e sem o apoio da família, vulnerabilizado. Os voluntários do USE visitarão 123 abrigos, 76 casas de acolhimento de mulheres e 452 unidades socioeducativas para menores em conflito com a lei. Todos os protocolos sanitários serão observados na campanha.

A empresária Flavia Cristina Mathias Gomes, de 34 anos de idade, é voluntária do programa social. Ela própria também passou por essa situação de abandono quando criança, e foi ajudada pelo USE.

“Perdi minha mãe aos 2 anos e fui abandonada por meu pai. Vivi de casa em casa de parentes. Assim, nunca consegui ter uma base de referência. Alguns parentes até ajudavam, mas sempre me sentia excluída no seio familiar. E outros me jogavam na cara que não fazia parte daquela casa”, conta a empresária.

Flávia relata que tinha complexo de inferioridade e desejo de morrer. “Sempre fui uma criança e uma adolescente triste. Cresci na comunidade vendo muitas coisas ruins. Quando conheci o trabalho do Socioeducativo, cheguei a pessoas que se importaram realmente comigo. Me fizeram sentir importante e especial. Cuidaram de mim como uma família”.

Órfãos pela pandemia 

A pandemia da covid-19 aumentou significativamente o número de órfãos no Brasil — e muitos não têm parentes para continuar a cuidar de sua criação.

Entre março de 2020 e abril de 2021, 130 mil crianças e jovens brasileiros de até 17 anos ficaram órfãos, de acordo com estudo da revista científica The Lancet. Além desses, cerca de 17 mil perderam os avós, que eram responsáveis por sua criação, estima a pesquisa.

Hoje, o Brasil tem 29,2 mil crianças e adolescentes em 4,6 mil abrigos. Em média, 8 crianças são abandonadas por dia no país.

Ulisses Gomes, responsável pelo USE no país, explica que muitos órfãos não têm a quem recorrer e pedir ajuda. “Este dia vai mostrar para esses jovens que não importa quem os abandonou, o que importa é que queremos acolhê-los com amor, carinho, respeito”,

“O órfão pode ser órfão para o mundo, mas será por nós acolhido. Este evento busca mostrar que têm um apoio, mesmo diante dessa situação”, conclui.

Cada localidade onde o “Dia do Órfão” acontecerá, terá uma programação própria. Está prevista a distribuição de lanches, doação de cestas básicas e de peças de roupa para os mais necessitados.

Myraci Silva Costa, gestora do Serviço de Acolhimento Institucional para Crianças e Adolescentes (SAICA) Novo Lar II, em São Paulo, conta que as crianças esperam ansiosamente a visita dos voluntários do USE.

“Tem sido fundamental para a convivência entre eles. Irmãos que não se davam bem e depois que começaram a participar das atividades promovidas nas visitas estão se relacionando melhor. Observamos também o afeto entre as crianças e os voluntários. Vejo a mudança das crianças, ficam mais calmas. Agradeço a todos os voluntários que se doam para essas crianças”, conta.


‘Dia do Órfão’ leva conforto e esperança a crianças e adolescentes sem pais ou família 
  • Unicom / Fotos: Cedida 


reportar erro