Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 2 de junho de 2019 - 00:05


Deus, a família e o homem

Como você organiza a sua escala de prioridades?

Ele é homem. Está sempre em ação. O trabalho ou a busca de atingir seus objetivos, seja cursando faculdade, estudando uma língua estrangeira ou fazendo uma especialização para que sua vida evolua, tomam grande parte do seu tempo. Além de batalhar todo dia, ele não esquece de reservar um momento para o lazer, para cuidar da saúde, praticando algum esporte ou indo à academia, e também para a

Obra de Deus. Solteiro ou casado, esse homem só tem um problema que ainda não foi percebido por ele: está esquecendo da família.

Na opinião do escritor e palestrante Renato Cardoso, essa situação é mais comum do que se imagina. “Às vezes, enquanto você está lutando as suas guerras do lado de fora, o inimigo vem por trás e ataca a sua família. Isso quer dizer que nós não podemos descuidar da nossa família. Eu sei que as lutas lá fora são grandes e a maioria de nós passa mais tempo acordado, fora de casa, mas isso não é desculpa para você pensar assim”, afirma.

De acordo com Renato, na cabeça do homem o pensamento é que a família estará sempre ali, à sua disposição. “Minha esposa está ali e sempre vai estar, meus filhos estão ali, sempre vão estar e todos vão entender que eu estou trabalhando, que eu estou travando uma luta e vão me apoiar. Pois é, na teoria pode ser assim, mas, na prática, quando você deixa a desejar na sua casa, quando descuida dos seus filhos ou de sua esposa, o mal pode aproveitar essa brecha que você está deixando”, explica.

Alguns podem dizer, inclusive, que esse homem está fazendo tudo certo. A família tem mais é que apoiar sua conduta. Agora chegamos ao ponto: talvez esse homem esteja se dedicando mais ao trabalho, aos estudos e até mesmo à Obra de Deus do que à família. Isso não é bom.

Se você ainda não sabe, priorizar a Deus é diferente de fazer a Obra. Para ficar mais claro, em uma escala de prioridades, devemos colocar Deus em primeiro lugar, abaixo dEle a família e depois a Obra.

E sabe por que você deve priorizar a família depois de Deus? Porque é ela que está por perto nos momentos mais difíceis, por mais que, em algumas situações, haja conflitos. Deus e a família são a base. E, quando falamos da família, nos referimos aos pais, aos irmãos e também à esposa (se o homem for casado), que sempre estão próximos para dar suporte a esse homem batalhador.

Se você não faz parte de uma família ou não possui uma é preciso estar atento quando constituir a sua. Mas lembre-se: ter uma não é suficiente para mantê-la. É preciso cuidar dela: dispensar um tempo para passar com seus pais, com seus filhos, com seus irmãos ou com a sua esposa. Só que esses momentos precisam ter qualidade, participação e entrega.

Não adianta estar em casa com a mulher e os filhos e ficar na frente da televisão assistindo filmes ou ficar jogando videogame, sem conversar e sem interagir com a família. Algum problema vai surgir daí. E pode ser bem sério. A interação familiar é como o cimento que mantém os tijolos de uma casa para que não caia: ela vai manter a sua família unida.

Se o homem deixa de interagir com os pais, os irmãos, com os filhos e com a esposa está fadado ao fracasso. Se você está agindo assim, mude agora mesmo sua conduta. Faça algo com a sua família. Almoce ou jante com seus familiares. Passe um fim de semana ou uma tarde com sua esposa. Assistam a um filme juntos. Desligue o celular para poder conversar sem ser interrompido. Há tanta coisa que não custa dinheiro nem muito tempo e que acabamos desprezando. Pense sobre isso – e aja– antes que seja tarde.


  • Eduardo Prestes / Foto: iStock 


reportar erro