Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 9 de maio de 2018 - 03:05


Detentas participam de aulas de autoconhecimento em presídio de Sergipe

O curso, realizado pelo UNP em parceria com o Raabe, teve como objetivo levar as internas a uma reflexão sobre si e tudo o que elas têm vivido. Veja como foi

A Bíblia nos ensina:

“Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade” 2 Coríntios 3.17

Com base nos ensinamentos contidos nas Escrituras Sagradas (leia aqui a Bíblia em 1 ano), 40 internas do Pavilhão 2, do Presídio Feminino PREFEM, em Socorro, no estado de Sergipe, puderam se sentir “livres”. Recentemente, elas participaram de mais um curso de autoconhecimento, promovido pelo grupo Universal nos Presídios (UNP) em parceria com o Raabe.

O curso teve a duração de seis aulas, realizadas a cada 15 dias, às quartas-feiras. O objetivo foi levar as internas a uma reflexão sobre tudo o que cada uma tem vivido, seus traumas, bloqueios, suas inseguranças e escolhas.

Se conhecer

Durante os encontros, elas aprenderam como se reconhecer verdadeiramente. “Tudo o que fizeram, mudou a sua origem de criação. Só se conhecendo, de fato, pode haver uma mudança de hábitos que foram adquiridos com o passar do tempo e, por consequência, escolhas erradas”, comentou a missionária Sarita Araújo, responsável pelo UNP nas unidades femininas.


Ao final do curso, todas as detentas que participaram das aulas realizaram a apresentação de uma peça teatral, mostrando o que aprenderam com os ensinamentos. “Durante os 3 meses elas puderam absorver, com clareza, os principais assuntos. Muitas até mudaram o comportamento”, salientou a missionária.

Sarita fez questão de destacar que reconhecer os erros é o primeiro passo para mudar e, por meio da fé no Deus verdadeiro, a pessoa deixa de andar em trevas e passa a ser a própria luz no mundo.

Seja um voluntário da Universal. Clique aqui e encontre o endereço de uma igreja mais próxima de sua casa e veja com o pastor qual o grupo que mais se encaixa com você. Para conhecer mais a respeito do trabalho desenvolvido pelo UNP, acesse e curta a página oficial do grupo no Facebook.


  • Por Débora Picelli / Fotos: Cedidas pelo grupo UNP  


reportar erro