Rede aleluia

Notícias | 12 de maio de 2018 - 03:00


Curiosidades sobre o filme "Nada a Perder"

Longa contou com uma orquestra de 60 músicos para gravar a trilha sonora exclusiva, cujo projeto foi 100% autoral. Confira

Você sabia que aquelas músicas que você ouviu durante o filme “Nada a Perder” foram exclusivamente compostas e gravadas sob medida e, que para isso, foi preciso contratar uma orquestra com 60 músicos?

Todos sabemos que uma superprodução de cinema requer músicas fortes, marcantes, que impactem os espectadores. As do “Nada a Perder” não deixaram a desejar.

O projeto foi 100% autoral e nada foi regravado, explica o compositor e produtor musical, Otávio de Moraes (foto), que há mais de 25 anos produz trilhas sonoras para os mercados do audiovisual, publicidade e fonográfico. “Fizemos uma trilha original sob medida para o filme”, diz.

Os principais trechos foram gravados em 15 dias, em um estúdio de São Paulo.

“A música faz parte da narrativa do filme, trata-se de uma vida inteira, então, tem várias passagens de tempo que a gente precisa musicar e a trilha acaba protagonizando bastante”, disse Otávio, em entrevista ao Jornal da Record.

A da prisão do Bispo Edir Macedo, por exemplo, foi uma das cenas mais difíceis de sonorizar, ressalta o profissional. “Uma perseguição com polícia, com gente querendo caçá-lo de qualquer maneira, traduzindo isso musicalmente é muita nota e com bastante intensidade”.

Relembre a reportagem especial com os músicos, no vídeo abaixo, que a Record TV produziu dias antes da estreia nacional de “Nada a Perder”, em 29 de março passado.

Leia também: “Nada a Perder”: a maior bilheteria nacional de todos os tempos.

(*) Com informações do Jornal da Record


  • Por Ivonete Soares (*) / Fotos: Daniella Monaco e Reprodução 


reportar erro