Rede aleluia
Como lidar com o pré-julgamento na relação entre pais e filhos
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCaraguatatubaCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 19 de Julho de 2021 - 14:57


Como lidar com o pré-julgamento na relação entre pais e filhos

Confira o ensinamento deixado pelo Bispo Renato Cardoso e sua esposa, Cristiane Cardoso, durante a bênção aos pais e filhos, no Templo de Salomão

Como lidar com o pré-julgamento na relação entre pais e filhos

Durante reunião no Templo de Salomão, no domingo último (18), o Bispo Renato Cardoso e sua esposa, Cristiane Cardoso, falaram sobre a injustiça de um pré-julgamento no âmbito familiar e como pais e filhos podem lidar com isso.

“O pai já pré-julgar o filho e condená-lo sem nem saber realmente o que aconteceu, e vice-versa. Pais que julgam mal os filhos que, por sua vez, julgam mal os pais. Porque já vêm carregados de um pré-conceito, um pré-julgamento (…) mas, essa bagagem já está dentro de você e, então, você acaba sendo injusto com a outra pessoa”, explicou o Bispo Renato.

Não julgar pelo que vê e ouve

Em seguida, Cristiane comentou que, no geral, as pessoas pensam que podem julgar pelo que veem e ouvem. “A gente viu, ouviu, soube, talvez, do passado daquela pessoa, do que já aconteceu com ela, então, a gente une essas informações e acha que tem o direito de julgar”, disse.

E que, ao fazer isso, porque acreditam que conhecem bem o familiar, cometem um engano. “Porque a sensação que dá quando você é julgado é assim: ‘o que eu fizer, serei sempre julgado, então, não vou me preocupar em mudar’. Você acaba fazendo a pessoa desistir de mudar, porque já a está julgando (…) Quando você julga o seu filho/pai, você está sendo injusto”, pontuou.

Deus avalia o coração

Diferentemente de quando Deus olha para nós e avalia o coração, que ninguém consegue ver ou ouvir porque está no nosso interior. “Quando Deus olha para a gente, Ele vê o contexto. Ele não avalia só um lado da história que é o que se vê, o que se ouve e o que se sabe. Ele vê dentro”, explanou Cristiane.

Por sua vez, o Bispo Renato explicou que “o Único que pode realmente fazer justiça é Deus. Porque Ele não julga só pelo que vê e nem pelo que ouve, como o ser humano faz”. Então, como pais e filhos podem lidar com esse problema dentro de casa?

“Não quer dizer que você não vai ser justo com o seu filho, procurar dentro do melhor possível fazer o que é certo, ter regras dentro de casa, não vai dar correção. Mas, que você não venha se precipitar. Não passe sentença, não condene a pessoa. Dê o benefício da dúvida e por mais que você tenha a reação de querer julgar, você tem que respirar e orar”, concluiu.

Assista ao vídeo abaixo com a mensagem na íntegra:

Orientação para pais e filhos

Quer saber mais sobre o tema e receber orientação para o seu relacionamento familiar?

Aos domingos, às 9h30, no Templo de Salomão, acontece a bênção para as famílias.

Para outras localidades, clique aqui e encontre uma Universal mais próxima de sua casa.


Como lidar com o pré-julgamento na relação entre pais e filhos
  • Redação / Foto: IStock 

  • Colaborador: 

  • Michele Roza


reportar erro