Rede aleluia

Notícias | 8 de outubro de 2018 - 00:05


Casal famoso se acusa de infidelidade na imprensa

Acusações são trocadas sem que algum deles pense nos filhos. Entenda

Denis Glushakov tem 31 anos de idade, 13 como jogador profissional de futebol. Jogou por sua seleção, a Rússia, 51 vezes, inclusive em Eurocopas e na Copa do Mundo. Hoje é capitão de um dos maiores times do futebol da Europa. Mesmo assim seu nome só ganhou fama além da Europa há alguns dias, quando um vídeo feito por sua esposa foi compartilhado na internet.

Nas imagens Denis está vestindo apenas uma toalha ao redor da cintura, acompanhado por uma mulher. A pessoa que filma – a esposa Darya – grita e o acusa de estar com uma prostituta. De acordo com ela, Denis a trai há muito tempo e todos ao redor deles sabem.

Trair é inteligente?

Negando as acusações de Darya, jogador afirma que a mulher na sauna com ele era uma amiga de infância. Ele também defende que o casal não mora junto há seis meses (o que Darya nega) e que estão se divorciando. Denis acusa Darya de ser infiel (o que a mulher também nega). Pelo menos um dos dois está mentindo, o que significa que a infidelidade destruiu esse relacionamento.

De acordo com a explicação do escritor Renato Cardoso, ser infiel tem muitos custos: “É dinheiro com motel, presentes, restaurantes, roupas, celular privado que a esposa não sabe que existe, escapadas em horário de trabalho…”, mas o maior prejuízo é “ser descoberto, perder o casamento e o respeito dos filhos, o bom nome e a paz”.

Assim, é necessário pensar muito bem antes de tomar qualquer atitude, especialmente se essa ação for ser infiel. “Então é você quem decide, na verdade. Sua cabeça é quem manda no seu coração. Mas se ela não mandar nele, ele vai mandar nela e levá-la a fazer um monte de besteira”.

“Nesse monte estão incluídos muito choro do parceiro, seu e das crianças; muito prejuízo financeiro em um possível divórcio; muita vergonha dos seus familiares e conhecidos; anos jogados fora; mágoas inesquecíveis muito difíceis de perdoar (inclusive o desafio de se perdoar)… e muitas outras consequências”, conclui Renato.

Há tempo para mudar

Muitos casais acreditam que a infidelidade é o fim do relacionamento. Diante de tanta raiva, vergonha, humilhação e tristeza desistem de lutar pelo amor que, muitas vezes, ainda está ali. A pessoa que sofre uma traição tem o direito de escolher reconstruir aquela relação ou não. E, ao contrário do que alguns dizem, é possível ser ainda mais feliz em um casamento após descobrir uma infidelidade do que se era antes dele. Como? Resolvendo todos os problemas.

André Mendes, por exemplo, conta que seu relacionamento com Carla de Oliveira era problemático antes de qualquer infidelidade: “Minha vida amorosa estava destruída. Era desconfiança, intrigas, constrangimentos, brigas…”

A consequência foi a traição que, nas palavras de Carla, tornou-se o pior momento de sua vida conjugal:

“Eu peguei o celular dele esperando outra mensagem e vi a conversa dele com outra mulher. No dia eu fiquei muito irritada, nervosa, ainda deixei ele se explicar um pouco, porém, para mim ali era o fim. Peguei as minhas coisas, fui embora com o relacionamento terminado. Tínhamos acabado. Para mim não tinha jeito, não tinha volta”.

Apesar de tudo, o casal ainda se amava. E procurou ajuda para enfrentar a situação. Assista ao vídeo abaixo e descubra o que aconteceu:

Se você também já foi traído e deseja recomeçar, participe da Palestra Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras. Clique aqui e conheça os endereços mais próximos de você.


  • Andre Batista / Imagem: Reprodução internet 


reportar erro