Rede aleluia
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCabo FrioCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta Redonda
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 26 de abril de 2018 - 03:05


Caixa reduz taxa de juros e facilita acesso à casa própria

Novidade está movimentando o mercado imobiliário. Saiba mais

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou uma novidade no dia 16 de abril último que movimentou o mercado de imóveis, como há tempos não acontecia: a redução de até 1,25% das taxas de juros do crédito, utilizando recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Além da redução de juros, que passou de 10,25% para 9% ao ano para imóveis dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), e de 11,25% para 10% para os financiados com recursos do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), houve também a mudança das condições para pessoa física.

A partir de agora, o limite de cota de financiamento do imóvel usado passa a ser de 70% do valor do bem. Antes, era de 50% do valor total.

De acordo com Nelson Antônio de Souza, presidente da Caixa Econômica, a redução das taxas de juros facilita o acesso à casa própria, além de contribuir também para estimular o mercado imobiliário.

Entenda sobre o SFH e SFI

Enquadram-se no SFH imóveis residenciais de todo o País no valor de até R$ 800 mil, exceto os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, onde o limite é de R$ 950 mil. Para os imóveis residenciais com valor acima, serão enquadrados no SFI.

Ambos sistemas utilizam recursos depositados na poupança para financiar imóveis.

(*) Com informações do R7


  • Da Redação (*) / Foto: Thinkstock 


reportar erro