Rede aleluia
“Buscava preencher o vazio que sentia em atividades e estudos”
São Paulo
Centro-Oeste
Distrito Federal
Brasília
Goiás
AnápolisGoiânia
Mato Grosso
Cuiabá
Mato Grosso do Sul
Campo Grande
Nordeste
Alagoas
Maceió
Bahia
Feira de SantanaIlhéusItabunaSalvador
Ceará
Fortaleza
Maranhão
São Luís
Paraíba
João Pessoa
Pernambuco
Recife
Piauí
Teresina
Rio Grande do Norte
Natal
Sergipe
Aracaju
Norte
Acre
Rio Branco
Amapá
Macapá
Amazonas
Manaus
Pará
Belém
Rondônia
Porto Velho
Roraima
Boa Vista
Tocantins
Palmas
Sudeste
Espírito Santo
Vitória
Minas Gerais
Belo HorizonteJuiz de ForaUberlândia
Rio de Janeiro
Angra dos ReisBarra MansaCampos dos GoytacazesMacaéRio de JaneiroVolta RedondaCabo Frio
São Paulo
AraçatubaAraraquaraBauruCampinasCatanduvaFrancaJaúJundiaíLimeiraMaríliaPiracicabaPraia GrandePresidente PrudenteRibeirão PretoSantosSão CarlosSão João da Boa VistaSão José do Rio PretoSão José dos CamposSão PauloSorocabaTaubatéVotuporanga
Sul
Paraná
CascavelCuritibaFoz do IguaçuLondrinaMaringáPonta Grossa
Rio Grande do Sul
PelotasPorto AlegreRio GrandeSanta Maria
Santa Catarina
BlumenauCriciúmaFlorianópolis

Notícias | 24 de outubro de 2020 - 00:10


“Buscava preencher o vazio que sentia em atividades e estudos”

A enfermeira Karen Pereira só conseguiu o que queria quando se rendeu à fé. Saiba mais

“Buscava preencher o vazio que sentia em atividades e estudos”

Para preencher o vazio que sentia, desde criança, Karen Pereira, de 40 anos, procurou nos estudos uma forma de ser feliz. Formada em enfermagem, ela ainda possui quatro pós-graduações e diversos cursos de especialização na área da saúde. Quando chegou ao ápice da carreira, Karen se viu na mesma situação da infância: sentindo um vazio inexplicável.

Pensando como preenchê-lo, ela resolveu buscar nas atividades físicas o alívio para a alma. “Comecei com uma reeducação alimentar e a musculação, e logo me senti melhor; mas, passei a observar as musas fitness e resolvi ingressar no mesmo caminho. Foi, então, que passei a fazer uso de anabolizantes”, disse.

Neste mesmo período, Karen conheceu seu atual marido e quando, finalmente, pensou que seria feliz, ela descobriu que o companheiro sofria com uma depressão profunda.

“Foram momentos difíceis, principalmente quando ele tentou o suicídio”, comenta.

No momento de desespero, o marido de Karen conheceu o trabalho de fé realizado pela Universal e, decidido a mudar, ele se entregou a Deus, servindo de exemplo para a esposa.

Assista ao vídeo abaixo e saiba como a vida de Karen mudou, após chegar à Igreja e conhecer a Deus também:


“Buscava preencher o vazio que sentia em atividades e estudos”
  • Sabrina Marques / Foto: Reprodução 


reportar erro